PPGG | |

  • Dissertações 2009

    • Dissertações Turma 3 - Ano 2009

      Em Construção

      Leia Mais
    • Dissertações Turma 4 - Ano 2010

      Em construção

      Leia Mais
    • Dissertações Turma 5 - Ano 2011

      em construção

      Leia Mais
    • Dissertações Turma 6 - Ano 2012

      Turma 6 - 2012

      Título Autor PDF

      A Cidade na Fronteira: Expans”ao do Comércio Peruano em Benjamin Constant no Amazonas - Brasil

      Leia Mais
    • Dissertações Turma 7 - Ano 2013

      Turma 7 - 2013

      Título Autor PDF

      A Rede Urbana Pan-Amazônica e a Copa do Mundo de 2014: Os Impactos nas

      Leia Mais
      • 1
      • 2

    • Dissertações Turma 3 - Ano 2009

      Em Construção

    • Dissertações Turma 4 - Ano 2010

      Em construção

    • Dissertações Turma 5 - Ano 2011

      em construção

    • Dissertações Turma 6 - Ano 2012

      Turma 6 - 2012

      Título Autor PDF

      A Cidade na Fronteira: Expans”ao do Comércio Peruano em Benjamin Constant no Amazonas - Brasil

      Orientador(a): Dr. José Aldemir de Oliveira

      Alex Sandro Nascimento de Souza Anexo

      A atuação Governamental no Setor de Agropecuária e Pesca no Estado do Amazonas

      Orientador(a): Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz

      Allan Castro da Rosa Anexo

      Gesstão da Água em Manaus: Proposta de Criação do Comitê de Bacia Hidrográfica do Puraquequara

      Orientador(a): Dra. Adorea Rebello da Cunha Albuquerque

      Alzilene Teixeira da Rocha Anexo

      A Regiâo Transnacional entre Brasil, Colômbia e Peru como Escala de Análise para a Tríplice Fronteira

      Orientador(a): Dra. Amélia Regina Batista Nogueira

      Bruno Caldas Machado Anexo

      As Grandes Obras para Reabertura da BR-319 e seus Impactos nas Localidaddes Ribeirihas do Rio Solimões: Bela Vista e Manaquiri, no Amazonas

      Orientador(a): Dra. Elizabeth da Conceição Santos

      Camila de Oliveira Louzada Anexo

      Alimentação e Rede Urbano na Amazônia Brasileira: Um Estudo das Transformações e Permanência nos Hãbitos Alimentares de Idosas nas Cidades de Tefé, Alvarães e Uarini, Amazonas

      Orientador(a): Dra. Tatiana Schor

      Ellen Anjos Camilo Anexo

      Causas e Consequências da Ocorrência de Doenças nas Rodovias AM-330 (Silves e AM-363 (Itapiranga), Amazonas, Brasil

      Orientador(a): Dr. Antonio Fábio Sabbã Guimarães Vieira

      Emerson Dias da Silva Anexo

      A Microbacia Hidrográfica do Bindá (Manaus-AM) sob a Ótica da Complexidade Ambiental

      Orientador(a): Dra. Elizabeth da Conceição Santos

      Fabiana Maria Machado Soares dos Santos Anexo

      Unidades de Conservação, Pesca e Modo de vida: Conmtradições

      Orientador(a): Dr. Reinaldo Corrêa Costa

      Fúlvia Maria Gomes Rodrigues Anexo

      Prática Socioambiental, a Compensação Ambiental do Projeto Gasoduto Coari-Amazonas: O Caso do Parque Estadual Sumaúma

      Orientador(a): Dra. Amélia Regina Batista Nogueira

      Gleina Oliveira de Assis Anexo

      Gênero, Espacialidade e Sustentabilidade: As Mulheres Chefes de Família do Parque Residencial Manaus - PROSAMIM

      Orientador(a): Dra. Adorea Rebello da Cunha Albuquerque

      Irlanda Pantoja Leite

      Anexo

      A Organização Sociocultural e o Modo de Vida na Comunidade Miracuera, Paraná do Careiro, Município de Careiro da Várzea, Amazonas

      Orientador(a): Dra. Amélia Regina Batista Nogueira

      Jônatas de Araújo Matos Anexo

      Modificações no Padrão de Drenagem da Microbacia do Passarinho, Manaus/Amazonas: A Formação de Barras Sedimentares Tecnógenas

      Orientador(a): Dra. Adorea Rebello da Cunha Albuquerque

      José Carlos Santos de Souza Anexo

      Filhos do Waraná: Territorialização dos Saterê-Mawé ma Região Metropolitana de Manaus - RMM

      Orientador(a): Dra. Ivani Ferreira de Faria

      Luis Francisco Nogueira de Freitas Anexo

      Organização da Produção Agrícola Familiar e Modo de Vida na Comunidade de Cachoeirinha, Rio Madeira, Muncípio de Manicoré, Amazonas

      Orientador(a): Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz

      Maria Jacilene Bentes de Oliveira Anexo

      Produção Agrícola em Área Urbana: Comunidade Nova Esperança, Bairro Jorge Teixeira, Manaus, Amazonas

      Orientador(a): Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz

      Marta Benfica Nascimento Anexo

      Concentração de Sedimentos em Suspensão na Regiâo de Confluência dos Rios Negro e Solimões, Amazonas, Brasil

      Orientador(a): Dr. Naziano Pantoja Filizola Jr

      Thiago Pimentel Marinho Anexo
    • Dissertações Turma 7 - Ano 2013

      Turma 7 - 2013

      Título Autor PDF

      A Rede Urbana Pan-Amazônica e a Copa do Mundo de 2014: Os Impactos nas Cidades de Tabatinga(BR) e Letícia (COL)

      Orientador(a): Dra. Tatiana Schor

      Alex Butel Ribeiro Anexo

      Variabilidade no Aporte de Sedimentos do Rio Purus: Avaliação por Sensores Remotos e Aspectos Observacionais

      Orientador(a):Dr. Naziano Pantoja Filizola Jr

      André Luis Martinelli Real dos Santos Anexo

      Estudo do Padrão de Fraturamento na Marge do Rio Negro, na Orla da Cidade de Manaus-AM e sua Relação com o Processo Erosivo

      Orientador(a): Dr. Clauzionor Lima da Silva

      André Silva Rodrigues Tomaz Anexo

      Espacializaçcão da Criminalidade: um Estudo sobre a Relação entre Densidade Demográfica e Violência em Manaus - Amazonas

      Orientador(a): Dr. Geraldo Alves de Souza

      Andréia Carla Rossi Sales Santiago Anexo

      Mapeamento das Áreas de Risco a Voçorocametno e Caracterização Geoambiental da Rodrovia AM-010 (Manaus/Itacoatiara/AM)

      Orientador(a): Dr. Antonio Fábio Sabbá Guimarães Vieira

      Anne Carolina Marinho Dirane Anexo

      Relação Sociedade e Natureza e o Mercado da Biodiversidade em Manaus-AM

      Orientador(a): Dr. Reinaldo Corrêa Costa

      Bárbara Evelyn da Silva Ferreira Anexo

      Dinâmicas Territoriais no Processo de Expansão do Agronegócio da Soja e Campesinato no Baixo Amazonas – Pará

      Orientador(a): Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz

      Edeilton Pereira dos Santos Anexo

      Mulheres Pescadoras da Várzea do Município de Parintins-AM: A Pesca do Camarão nas Comunidades de Brasília e Catispera

      Orientador(a): Dra. Amélia Regina Batista Nogueira

      João Bosco dos Santos Brasil Anexo

      Lugar e Paisagem: O Velho e a Imagem da Cidade de Manaus-Amazonas

      Orientador(a): Dra. Amélia Regina Batista Nogueira

      Mônica Farias Pinheiro Anexo

      Impactos Ambientais sobre a Floresta da UFAM

      Orientador(a): Dr. José Alberto Lima de Carvalho

      Sílvio Rodrigues Caldas Anexo

      Mercado de Fitoterápicos e Fitocosméticos em Manaus - Amazonas

      Orientador(a): Dr. Reinaldo Corrêa Costa

      Talita Pedrosa Vieira de Carvalho Anexo

      Por uma Geografia Indígena: uma Análise do Ensino de Geografia nas Licenciaturas Indígenas Interculturais da Universidade Federal do Amazonas

      Orientador(a): Dra. Ivani Ferreira de Faria

      Thaline Ferreira Fontes Anexo

      Da Praia a Parque: O Ressignificado das Paisagens da Ponta Negra/Manaus-Amazonas

      Orientador(a): Dra. Amélia Regina Batista Nogueira

      Valdelice Carvalho de Sousa Anexo

      Reflexões sobre o Ensino de Geografia Física no Ensino Fundamental

      Orientador(a): Dra. Adorea Rebello da Cunha Albuquerque

      Vanda Ma Andrade dos Santos Anexo
    • Dissertações Turma 8 - Ano 2014

      DISSERTAÇÕES 2014

       

      Título Autor PDF

      Geograficidade, Urbanidades Rurais e Campesinidade no Modo de Vida dos Moradores da Comunidade de Santa Maria de Vila Amazônia, Parintins-Amazonas

      Orientadora: Dra. Amelia Regina Batista Nogueira

      Anderson de Souza Tavares

       

       

      EM ANEXO

      Características Hidro-Geomorfológicas do baixo curso dos Rios Solimões e Negro e sua Confluência, Amazonas, Brasil

      Orientador: Dr. Naziano Pantoja Filizola Jr

      André Zumak Nascimento

       

      EM ANEXO

      Análise da Vulnerabilidade Erosiva da Bacia Hidrográfica Colônia Antonio Aleixo, Manaus-Amazonas

      Orientador: Dr. Antonio Fábio Sabbá Guimarães Vieira

      Armando Brito da Frota Filho

       

      EM ANEXO

      Impacto Ambiental por Ocupação em Encostas Urbanas: Estudo de Caso no Bairro Gilberto Mestrinho, Zona Leste de Manaus

      Orientadora: Dra. Adorea Rebelo da C. Albuquerque

      Daiane Cardoso Lopes Batista

       

      EM ANEXO

      O Rural, o Urbano e as Políticas de Desenvolvimento na Substituição da Goma de Mandioca em Manacapurur-Amazonas

      Orientadora: Dra. Paola Verri de Santana

      Débora Mota da Silva

       

      EM ANEXO

      Entre Terra e Água: Modo de Vida Camponês em Comunidades Ribeirinhas, Rio Amazonas – Parintins/Amazonas

      Orientador: Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz

      Dilson Gomes Nacimento

       

      EM ANEXO

      Estudo dos Deslocamentos Urbanos de Coari, Itacoatiara e Parintins e possíveis Influências da Topografia na Divisão Modal

      Orientador: Dr. Geraldo Alves de Souza

      Jouber da Costa Silva

       

      EM ANEXO

      Áreas de Risco nas Bacias Hidrográficas Urbanizadas de Manaus-Amazonas

      Orientador: Dr. Reinaldo Corrêa Costa

      Lila Sigrid Macena Lemos

       

      EM ANEXO

      Clima Urbano e Dengue (2000-2012) na Cidade de Manaus-Amazonas

      Orientador: Dr. Reinaldo Corrêa Costa

      Lucimar Silva dos Santos

       

      EM ANEXO

      Espaço e Tempo na Cidade de Manaus: Processo de Verticalização 1970 a 2010

      Orientador: Dr. José Aldemir de Oliveira

      Lupuna Corrêa de Souza

       

      EM ANEXO

      Das Intervenções Urbanas aos Espaços de Consumo em Manacapuru-Amazonas

      Orientadora: Dra. Paola Verri de Santana

      Moisés Barbosa da Silva

       

      EM ANEXO

      Classificação de Unidades Ambientais da Paisagem da Bacia Hidrográfica do Rio Sanabani, em Silves-Amazonas

      Orientador: Dr. Antonio Fábio Sabbá Guimarães Vieira

      Nádia Rafaela Pereira de Abreu

       

      EM ANEXO

      Transformações Socioespaciais no Entorno do Reservatório de Balbina, Presidente Figueiredo-Amazonas

      Orientadora: Dra. Adorea Rebello da C. Albuquerque

      Rodrigo de Oliveira Félix

       

      EM ANEXO

      Tempo e Espaço na Amazônia Colonial: Da Vila de Ega à Cidade de Tefé Séculos XVIII-XIX

      Orientador: Dr. José Aldemir de Oliveira

      Sandriele Pessoa dos Santos

       

      EM ANEXO

      A Geografia das Cidades e das Vilas no Amazona: O Caso de Tonantins e São Francisco de Tonantins-Amazonas

      Orientadora: Dra. Tatiana Schor

      Thiago Guimarães Franco

       

      EM ANEXO

      Impactos Socioambientais causados pelas Cheias Excepcionais do Rio Negro em Manaus-Amazonas, ocorridas entre 1950 a 2015

      Orientador: Dr. José Alberto Lima de Carvalho

      Valdemir Reis Fernandes

       

      EM ANEXO

      A Lei 10.639/03: A Representação da África e dos Agrodescententes nos Livros Didáticos de Geografia do Brasil 2005-2014

      Orientadora: Dra. Amélia Regina Batista Nogueira

      Waldnely Gusmão da Silva

       

      EM ANEXO

    • Turma 2009

      Turma 2009

      NOME DO MESTRANDO : ÂNGELA MARIA DOS SANTOS

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “PARQUE NACIONAL DA AMAZÔNIA – ITAITUBA: SOCIEDADE/NATUREZA, MISANTROPIA E CONFLITO”

      NOME DO ORIENTADOR :  REINALDO CORRÊA COSTA

      BANCA EXAMINADORA :  Reinaldo Corrêa Costa [PPG-GEOG/INPA]

                                                      Ricardo José Batista Nogueira [PPG-GEOG/UFAM]

                                                      Nelcioney José de Souza Araújo [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 07 de dezembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Domínios da Natureza na Amazônia

      RESUMO

      O presente trabalho aborda a relação sociedade - natureza com base no estudo da realidade dos moradores do interior e entorno, como também dos expropriados do Parque Nacional da Amazônia em Itaituba – PA. A análise centra-se no estudo das formas de uso e propriedade da terra, a partir da formação territorial dos moradores. Para o desenvolvimento de tal abordagem, tomou-se como referência geográfica o ideário preservacionista das áreas protegidas, principalmente da questão dos parques nacionais, bem como a compreensão das territorialidades e conflitos oriundos da criação do referido parque. Buscou-se, ainda, perceber as implicações impostas pela questão agrária e ambiental, tendo em vista a análise da realidade do Parque Nacional da Amazônia nas relações sociais existentes em seus circuitos e escalas de relações para identificar e caracterizar os impactos e reflexos de sua implantação.

      Palavras-chave : Sociedade. Natureza. Parque. Misantropia. Conflitos


      NOME DO MESTRANDO : CHARLENE MARIA MUNIZ DA SILVA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “MOCAMBO, CABURI E VILA AMAZÔNIA NO MUNICÍPIO DE PARINTINS: MÚLTIPLAS DIMENSÕES DO RURAL E DO URBANO NA AMAZÔNIA”

      NOME DO ORIENTADOR :  José Aldemir de Oliveira

      BANCA EXAMINADORA : José Aldemir de Oliveira [PPG-GEOG/UFAM]

                                                     Manuel de Jesus Masulo da Cruz [PPG-GEOG/UFAM]

                                                     Paulo Rogério de Freitas Silva [UFRR]

      DATA DA DEFESA : 05 de novembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      RESUMO

      Este trabalho teve como objetivo principal fazer a análise socioambiental de Mocambo, Caburi e Vila Amazônia, vilas localizadas no município de Parintins, compreendendo a produção do espaço a partir da influência de aspectos e características urbanas da cidade de Parintins. Para tal fizemos a identificação dos aspectos sociais, econômicos e culturais das vilas (produção, renda, infraestrutura, religiosidade, lazer), assim como de suas dimensões socioambientais (saneamento, destino dos resíduos, condições das moradias, saúde). As questões que a pesquisa visou responder são: quais os aspectos que compõem a formação socioeconômica e ambiental das vilas da zona rural do município de Parintins? O que significa um espaço na Amazônia que apresenta forma e estrutura de cidade, mas não possui essa denominação? E até que ponto estas vilas apresentam a (re) produção das contradições existentes na cidade?. Este trabalho está pautado nos estudos dos lugares, mas especificamente em Mocambo, Caburi e Vila Amazônia, no município de Parintins. O método utilizado para a coleta de dados, foi a aplicação de formulários socioeconômicos, sobre saúde e questões ambientais, a observação participante e entrevistas com os moradores das vilas. Essa pesquisa visa contribuir tanto no conhecimento das especificidades, no tocante a estrutura social e ambiental inerentes as vilas do município de Parintins, pois as mesmas têm a forma do urbano, porém não são cidades, embora possuam alguns serviços característicos das cidades, as atividades predominantes são ligadas ao campo e, também, na reflexão sobre o papel dos aglomerados urbanos nos dias atuais, no que concerne ao processo de urbanização que as mesmas estendem as áreas rurais, estendendo assim as suas contradições no tocante a (re) produção do espaço.

      Palavras chave : Vilas na Amazônia; Relação rural e urbano; Parintins.


      NOME DO MESTRANDO : CRISANTO DAMIÃO DA SILVA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “PESCA: CLASSES SOCIAIS, TERRITORIALIDADES E TRABALHO EM MANACAPURU - AM”

      NOME DO ORIENTADOR :  REINALDO CORRÊA COSTA

      BANCA EXAMINADORA : Reinaldo Corrêa Costa [PPG-GEOG/INPA] 

                                                     Ricardo José Batista Nogueira [PPG-GEOG/UFAM]

                                                     Nelcioney José de Souza Araújo [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 09 de dezembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Domínios da Natureza na Amazônia

      RESUMO

      A natureza não é apenas herança e base material, é territorializada como meio de produção que em si mesma não tem sentido quanto valor de troca, somente como valor de uso. Para sua concretude, enquanto valor de troca desigual entre os trabalhadores da pesca, há um mecanismo adequado, o cota-parte, elemento de diferenciação social e miniaturização das desigualdades sociais, onde cada elemento da cota-parte recebe seu provento. Uma pirâmide social é exemplo dos processos sociais que dirigem a economia do comportamento espacial dos pescadores ligados ao capital. Há os pescadores haliêuticos, aqueles em que o espaço e o território da pesca são exemplos de reprodução social, do cotidiano, portanto, a pesca gera uma diferenciação, não pelo montante do capital e sim pela forma social de sua existência no espaço, diferenciando pessoas, classes, grupos, com impactos que transbordam a atividade social e econômica, pois o produto final de diferentes realidades e contextos sociais da pesca se juntam no mercado, unidade territorializada pela troca de mercadorias no espaço capital, onde o consumidor final não conhece o processo social que põe o peixe no mercado, que aparece apenas como mercadoria, seu processo social é homogeneizado pelo nome mercadoria, há uma invisibilização dos processos sociais, por isso a sociedade não consome apenas peixe, consome e retroalimenta relações sociais de desigualdade no espaço. A mercadoria assume forma dominante, subsumindo relações sociais específicas

      Palavras-chave : Pesca, classes sociais, território, trabalho.


      NOME DO MESTRANDO : DANIEL ARAÚJO DA SILVA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “A INFLUÊNCIA DAS ÁREAS VERDES NO CLIMA DA CIDADE DE MANAUS”

      NOME DO ORIENTADOR :  Francisco Evandro Oliveira Aguiar

      BANCA EXAMINADORA : Francisco Evandro Oliveira Aguiar [PPG-GEOG/UFAM]

                                                     Jaci Maria Bilhalva Saraiva [PPG-GEOG/UFAM]

                                                      Magda Adelaide Lombardo [UNESP/USP]

      DATA DA DEFESA : 19 de novembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Domínios da Natureza na Amazônia

      RESUMO

      A pesquisa envolveu o estudo do clima da cidade de Manaus relacionado com algumas áreas verdes existentes na área urbana. O clima urbano é modificado artificialmente em virtude da transformação imposta no espaço urbano pela ação humana no modo de vida em coletividade. O crescimento das cidades e o processo intenso de urbanização nas últimas décadas proporcionaram fortes modificações no espaço urbano, e conseqüentemente variações climáticas espaciais significativas. As variações climáticas urbanas são resultantes principalmente, da diferenciação do uso do solo e diminuição das áreas verdes e arborização no entorno urbano. O desenvolvimento da pesquisa constitui-se da análise comparativa espacial dos atributos climáticos temperatura, umidade relativa e precipitação da cidade de Manaus, entre locais de áreas verdes, e locais com relativa ausência de vegetação. Consistiu de duas coletas de valores de treze pontos da malha urbana, em dois períodos sazonais diferentes. Sendo o primeiro em agosto de 2008, e o segundo em março de 2009. Como resultados comprovou-se variações térmicas espaciais na área urbana em até 8,0ºC no primeiro experimento, e 6,0ºC no segundo. No atributo umidade relativa, a variabilidade alcançou 41% no primeiro experimento, e 23% no segundo, entre os postos com diferentes usos do solo. Com relação à precipitação, que só ocorreu no segundo experimento, a variação na distribuição espacial máxima, alcançou 106 (mm) entre os postos (10 e 12) de coleta de dados. Segundo os índices de variação mencionados, comprovou-se a influência positiva e, ou negativa das áreas verdes e diferentes usos do solo urbano, principalmente nas variáveis temperatura e umidade relativa do ar. Essa influência, caracterizou as ocorrências climáticas espaciais da cidade de Manaus nos dias da pesquisa. Do mesmo modo acredita-se que essa influência ocorra diariamente.

      Palavras-chave : Precipitação, clima, Manaus, área verde.


       

      NOME DO MESTRANDO : FRANCIMARA TORRES DE FREITAS

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “ANÁLISE MULTITEMPORAL DA MODALIDADE EROSIVA DO TIPO “TERRA CAÍDA” NA REGIÃO DO MÉDIO SOLIMÕES – COARI/AM”

      NOME DO ORIENTADOR :  ADOREA REBELLO DA CUNHA ALBUQUERQUE

      BANCA EXAMINADORA :

      DATA DA DEFESA : 26 de novembro de 2012

      LINHA DE PESQUISA : Domínios da Natureza na Amazônia

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      RESUMO

      O presente trabalho visa identificar as mudanças nas margens relacionadas ao processo erosivo do tipo terras Caídas no curso médio do rio Solimões, trecho correspondente à cidade de Coari e ao Terminal Aquaviário (TA-Coari/ TRANSPETRO/ PETROBRAS). A partir da análise temporal no período de 1987 a 2008, utilizando imagens de Satélites, identificou-se visualmente a Área 1 (margem esquerda - ME), e baseado nos dados contabilizados verificou-se que essa apresentou maiores mudanças na configuração e morfologia das margens representando 72 % do total contabilizado; e para as mudanças mínimas um total de 4 % indicados na área da margem direita (3 MD). Considerando as análises físico-química e mineralógica, realizadas a partir de dez amostras de solo coletadas em seis perfis, a área identificada como perfil 4ME foi a única que apresentou textura franco-arenosa, as demais apresentaram textura franco-siltosa. As condições evidenciam a instabilidade do material sedimentar da várzea, determinada por valores elevados da fração silte expressos entre 347,5 g/kg e 739 g/kg. No que concerne aos valores de pH, esses variaram de 4.8 a 7.3, resultantes da planície de inundação. Nas análises de difração das argilas foram encontradas nas amostras coletadas a montemorilonita (Mt) mineral (2:1) típica de solos de várzea, a ilita (I), a caulinita (K), e a muscovita (M) e outros minerais restritos aos sedimentos derivados das formações geológicas daquela região. O que se pode concluir é que, pela fragilidade do tipo do material das margens, acaba-se produzindo uma saliência que se projeta sobre os sedimentos coesos e friáveis. Salientando que a erosão das margens raramente resulta de um único processo, mas de uma correlação de fatores controladores que, dependendo do grau de ocorrência, poderá gerar consequências de grande ou pequena magnitude ao meio ambiente como também às comunidades ribeirinhas.

      PALAVRAS CHAVES : Terra caída, Geomorfologia fluvial, Solimões, Erosão, Coari


      NOME DO MESTRANDO : FRANCISCO JOSÉ CORINGA COSTA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “A GEOGRAFICIDADE DOS JOVENS E O SENTIDO DE LUGAR NA SUA EXPERIÊNCIA COTIDIANA”

      NOME DO ORIENTADOR :  AMÉLIA REGINA BATISTA NOGUEIRA

      BANCA EXAMINADORA : Amélia Regina Batista Nogueira [PPG-GEOG/UFAM]

                                                    Manuel de Jesus Masulo da Cruz [PPG-GEOG/UFAM]

                                                    Antonia Silva de Lima [FACED/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 24 de novembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      RESUMO

      O contínuo processo de exclusão de jovens de periferia e a necessária valorização da percepção do seu espaço motivaram-nos a estudar, nesta pesquisa, o tema da geograficidade dos jovens e o sentido que o lugar tem para eles em sua experiência cotidiana. Assim, buscamos compreender qual a geograficidade desses jovens, seu espaço vivido e como eles constroem sua identidade, partindo da problemática de que a valorização da geograficidade contribui para sua identificação com o lugar e inserção no mundo. Essa geograficidade se reflete nas várias maneiras como os jovens sentem e conhecem seus ambientes como o lugar, a rua, a escola, a igreja, locais de lazer e outros referenciais que lhes são importantes. Como metodologia de pesquisa foi adotada a abordagem cultural na geografia numa perspectiva fenomenológica, tomando como ponto de partida para a apreensão do problema, entrevistas com roteiro aberto e elaboração de Mapas Mentais dos alunos. Os sujeitos da pesquisa foram alunos e ex-alunos de Ensino Fundamental da Escola Municipal Themístocles Pinheiro Gadelha, localizada no bairro Jorge Teixeira na Zona Leste de Manaus (AM) e os resultados mostraram que o resgate do espaço vivido desses jovens, revelou sua ligação afetiva e identidade com o lugar. Assim, consideramos a consciência de ser no mundo, fundamental para ações que possam configurar a participação desses jovens no bairro, uma vez que a cidadania se realiza no lugar de vida. Diante desses resultados, apontamos, neste trabalho, para a relevância do ensino da geografia, a partir da experiência e da significância que tem os lugares.

      Palavras-chave : geograficidade, percepção, lugar, identidade, cidadania


      NOME DO MESTRANDO : JEAN MOREIRA ALCÂNTARA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Territórios Invisíveis: Territorialidades dos Garotos de Programa na Área Central de Manaus”

      NOME DO ORIENTADOR :  Amélia Regina Batista Nogueira

      BANCA EXAMINADORA : Amélia Regina Batista Nogueira [DEGEO/UFAM]

                                                    Sérgio Ivan Gil Braga [DA/UFAM] 

                                                    Ricardo José Batista Nogueira [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 11 de dezembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Setembro/2007 a Dezembro/2009 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      A área central de Manaus é constituída por diversas territorialidades como as dos michês, prostitutas, travestis, policiais e tráfico de drogas, ou seja, uma área bastante dinâmica. A pesquisa sobre os territórios dos garotos de programa na área central de Manaus buscou entender a relação que esses profissionais do sexo possuem com os seus territórios, seja em espaços públicos ou privados. Os ambientes de prostituição permitem compreender a realidade dos michês e a organização dos microterritórios em áreas urbanas, contribuindo com novos debates a respeito do território e da territorialidade. As abordagens nos territórios de prostituição foram realizadas diretamente com os garotos programa através de entrevistas fechadas e abertas, o que permitiu compreender parte da realidade vivenciada por eles. Com base nas indicações dos michês foi construída uma representação cartográfica que procurou mostrar os diversos territórios de prostituição no centro de Manaus. Os territórios de prostituição dos garotos de programa são bem flexíveis em comparação aos das prostitutas e travestis, pois definem seus territórios de forma simbólica, expressada por seus gestos, falas e comportamentos. Além de disso, apesar de os michês de rua circular por vários pontos de prostituição, determinados ambientes acabam limitando sua entrada, pois os michês de rua não frequentam os territórios de prostituição fechada, como as saunas, assim como os garotos da sauna também não frequentam os territórios de rua. No entanto, há ambientes de prostituição em que tanto os grupos dos michês de rua quanto os da sauna podem frequentar como as boates GLS, existentes na área central de Manaus. Portanto, o centro da cidade se constitui em diversos microterritórios, que apresentam várias territorialidades, que se relacionam com os territórios dos garotos de programa de forma conflituosa e harmoniosa.

      Palavras–Chave : Prostituição, território, territorialidade, michês, garotos de programa.


      NOME DO MESTRANDO : JOÃO ZACARIAS MAR DE OLIVEIRA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “A Produção do Espaço Urbano e a Degradação Ambiental em Manaus:O Igarapé do Quarenta”

      NOME DO ORIENTADOR :  Amélia Regina Batista

      BANCA EXAMINADORA : Amélia Regina Batista Nogueira [DEGEO/UFAM]

                                                    Adorea Rebello da Cunha Albuquerque [DEGEO/UFAM] 

                                                    Simone Eneida Baçal de Oliveira [DSS/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 2 de dezembro de 2012

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Setembro/2007 a Dezembro/2009 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      O objetivo desta pesquisa foi refletir sobre degradação ambiental em Manaus, em especial no Igarapé do Quarenta. Desta forma, mostrar que a cidade vem sofrendo profundas mudanças no seu espaço urbano. E, por se tratar de um espaço com malha dentrítica bem marcante, onde estão adensados inúmeros igarapés, os quais vêm sofrendo ao longo da história urbana, aterros, canalização, diminuição de seus leitos, assoreamento, pavimentação e muitas outras modificações em suas margens e calhas procurou-se ver como esses igarapés se encontram hoje. E, aqui, o igarapé do Quarenta, enquanto estudo de caso é o ponto norteador desta pesquisa, na qual se constatou através de entrevistas de campo, o adensamento populacional de maneira ”desordenada” nas margens e no leito do referido igarapé, constando significativa degradação ambiental, a partir do acúmulo de lixo jogado tanto nas margens como no seu leito. Também se verificou ausência de políticas públicas, contaminação da água por diversos efluentes químicos industrial, falta de canalização de esgoto domestico, má iluminação pública a qual gera medo a população local. A falta de policiamento na área delimitada desse trabalho favorece o surgimento de um grande número de casos de assaltos, tiroteios, agressão. Contudo, o atual Governo do Estado, através de uma política de parecia com o Banco Interamericano de Desenvolvimento(BID) criou o Programa de Saneamento Ambiental do Igarapés de Manaus (PROSAMIN), com o objetivo de retirar famílias que se encontram em situação de risco, efetuando indenização das casas palafitas, ou deslocando-as para apartamentos pré-moldado. Porém, ainda falta muito para resolver o problema de moradia no Igarapé do Quarenta, Haja vista esse projeto estar iniciando da foz para a nascente. Existente ainda, muitas famílias em precárias condições de habitação, e o igarapé ainda exala mau cheiro. Em suma, o estudo aqui realizado, traz a tona, através de levantamento de dados, o que realmente levou o espaço urbano do Igarapé do Quarenta se tornar um lugar com grandes problemas ambientais, sociais e econômicos na cidade de Manaus.

      Palavras-chaves : Espaço-urbano, lugar, degradação, habitação


      NOME DO MESTRANDO : JOYLGON DO NASCIMENTO PINTO

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “A Refinaria de Manaus e o Rio Negro (AM): Impactos Socioambientais e Medidas Mitigadoras no Contexto Da Vila Da Felicidade”

      NOME DO ORIENTADOR :  Elizabeth da Conceição Santos

      BANCA EXAMINADORA : Dra. Elizabeth da Conceição Santos [PPG-GEOG/UEA/UFAM]

                                                    Francisco Evandro Oliveira Aguiar [DEGEO/UFAM] 

                                                    João Bosco Ladislau de Andrade [FT/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 26 de novembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Setembro/2007 a Dezembro/2009 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      A presente pesquisa trabalhou a percepção dos impactos socioambientais do refino de petróleo e suas conseqüências numa área pertencente ao Bairro Mauazinho – Zona Leste de Manaus, a partir de um estudo do caso na Vila da Felicidade. Este espaço foi escolhido em razão da proximidade com a Refinaria de Manaus Isaac Sabbá, especificamente no seu entorno, e ao fato da referida ocorrência localizar-se nas proximidades do logradouro supracitado. Quanto ao objetivo geral da pesquisa esta questionou a relação entre os impactos socioambientais e as atividades de indústria do refino do petróleo, neste caso específico a Unidade de Negócios Refinaria de Manaus Isaac Sabbá – UN-REMAN e as comunidades do entorno, no contexto da Vila da Felicidade. No que se refere aos objetivos específicos; a partir de pesquisa bibliográfica questionou quais os instrumentos do Sistema de Gestão Ambiental que permitem minimizar os impactos socioambientais nas referidas ocorrências; quais os impactos socioambientais percebidos pelos moradores entrevistados na Vila da Felicidade; e, finalmente, propor Educação Ambiental como um dos instrumentos para a execução de medidas mitigadoras no que concerne aos impactos socioambientais provocados pelas atividades da refinaria. Foram realizadas 50 entrevistas com os moradores dessa Vila seguindo um roteiro pré-elaborado, nos quais foram abordados itens referentes as percepções geográficas e ambientais da localidade em que vivem. Os dados e informações obtidos foram analisados e apresentados no decorrer da pesquisa, para uma melhor compreensão do problema. Também foram feitos estudos do local, enfatizando a importância da Geografia no contexto da referida pesquisa, apresentando características da área tanto no âmbito da Geografia Física quanto Humana. Os entrevistados da Vila da Felicidade foram escolhidos aleatoriamente e, posteriormente, identificados pela numeração de 01 a 50. De acordo com as entrevistas realizadas, a maioria dos mesmos são provenientes do interior do Estado do Amazonas, seguidos por procedentes dos estados do Ceará, Maranhão e Pará. Os resultados mostram que a maioria dos entrevistados possuem conhecimentos sobre os impactos socioambientais que ocorreram e ocorrem na localidade e há também a ausência de projetos sociais para a população da Vila da Felicidade, pois afirmam em sua maioria conhecê-los na teoria, mas que não vêem na prática, sendo uma das reivindicações mais constatadas nos resultados da pesquisa a falta de segurança que domina a comunidade. Os resultados da pesquisa na Vila da Felicidade também apontam para a necessidade de se criar mecanismos que viabilizem a permanente inserção da Geografia e da Educação Ambiental no cotidiano da comunidade, como por exemplo, na reativação da voz comunitária, a qual tenha a inserção de programação de cunho educativo, estimulando a prática da cidadania e o direito primordial para a melhoria da qualidade de vida dessa população.

      Palavras-chave : Refinarias – Vila da Felicidade – Petróleo – Impactos Socioambientais – Geografia – Educação Ambiental.


      NOME DO MESTRANDO : MARILENE ALVES DA SILVA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Sobreposição Territorial entre Unidades de Conservação Estaduais e Terras Indígenas no Médio Solimões”

      NOME DO ORIENTADOR :  Ricardo José Batista Nogueira

      BANCA EXAMINADORA : Ricardo José Batista Nogueira [DEGEO/UFAM]

                                                     Amélia Regina Batista Nogueira [DEGEO/UFAM]

                                                     Nelcioney José de Souza Araújo DEGEO/UFAM

      DATA DA DEFESA : 27 de novembro de 2012

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      RESUMO

      A presente dissertação intitulada “Sobreposição territorial entre Unidades de Conservação Estaduais e Terras Indígenas no Médio Solimões” vem a ser uma contribuição nas discussões sobre as sobreposições territoriais entre Unidades de Conservação e Terras Indígenas na Amazônia Brasileira. Partimos das diversas abordagens geográficas sobre território, com objetivo de chegar a uma interpretação da realidade em questão. Em paralelo, tentamos percorrer os caminhos da construção da idéia de natureza que acaba emergindo a criação das Unidades de conservação em prol da conservação da natureza. Procuramos demonstrar que a criação destes territórios é baseada apenas por características biofísicas da área sem atentar para complexidade socioambiental inserida nestes territórios, fragmentada nos discursos ambientalistas que moldam o lugar. Em vista disso, observam-se um aumento dos conflitos sociais nas Unidades de Mamirauá e Amanã, importantes de ser analisados. Ilustramos essa questão apresentando a problemática da sobreposição de territórios entre as Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã e Terras Indígenas no Médio Solimões, com intuito de refletir sobre a estrutura do pensamento fragmentado acerca da relação sociedade-natureza. Assim, procuramos demonstrar por meio da Geografia a importância de entender a complexidade territorial presente em cada lugar.

      Palavras-chave : Território, Unidades de Conservação, Terra Indígenas, Sobreposição de Território.


      NOME DO MESTRANDO : REGILSON FERREIRA DA COSTA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “As Mudanças Sócio-Culturais no Paraná do Curari/Am”

      NOME DO ORIENTADOR : Amélia Regina Batista Nogueira

      BANCA EXAMINADORA : Amélia Regina Batista Nogueira [DEGEO/UFAM]
                                                    Manuel de Jesus Masulo da Cruz [DEGEO/UFAM]
                                                    Therezinha de Jesus Pinto Fraxe [FCA/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 14 de dezembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Setembro/2007 a Dezembro/2009 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      A pesquisa teve como meta elaboração de um trabalho referendado num dos sub-campos da Geografia, ou seja, na Geografia Cultura/Humanista, a qual busca compreender as relações das pessoas com o meio natural, compreendendo o seu comportamento geográfico bem como os sentimentos e ideias a respeito do seu espaço e do seu lugar. Esta inter-relação que o homem mantém com a terra que é denominada de “geograficidade”. E buscou-se compreender este conceito a partir de conexões feitas intimamente com a fenomenologia, a qual contribuiu como aporte teórico. O objetivo principal deste trabalho foi o de identificar as modificações sócio-culturais no Paraná do Curari, especificamente nas comunidades do Divino Espírito Santo, São José, São Sebastião e São Francisco, buscando perceber como estas modificações interferiram no espaço vivido pelos habitantes desses lugares. O trabalho está organizado em três capítulos além das considerações finais. A área de pesquisa se localiza na zona rural do Município do Careiro da Várzea/Am. Para atingir os objetivos traçados utilizamos procedimentos metodológicos como: a definição dos conceitos referentes à abordagem fenomenológica; o desenvolvimento de pesquisa qualitativa com entrevistas abertas. Porém, a partir de um roteiro pré-estabelecido; registro de imagens, e das falas dos moradores na íntegra, sem qualquer tratamento por parte do pesquisador e para finalizar o uso de princípios da etnografia como apoio para as descrições dos fenômenos.

      Palavras-Chaves : Geografia humanista, fenomenologia, lugar, Espaço vivido, geograficidade.


      NOME DO MESTRANDO : ROSILENE SILVA DA CONCEIÇÃO

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “A Percepção da Degradação Ambiental em Iranduba-Am: uma Análise Integrada”

      NOME DO ORIENTADOR : Elizabeth da Conceição Santos

      BANCA EXAMINADORA : Elizabeth da Conceição Santos [PPG-GEOG/UFAM/UEA]

                                                     Magda Adelaide Lombardo [UNESP/USP]

                                                     Amélia Regina Batista Nogueira [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 20 de dezembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Setembro/2007 a Dezembro/2009 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      A grande crise ambiental planetária que se vivencia exige que a sociedade assuma novos valores, atitudes, comportamentos e ao mesmo tempo, busque tecnologias inovadoras, menos degradantes do ponto de vista ambiental. Para o enfrentamento dessa crise necessário se faz, entre outros, que a educação seja pensada numa dimensão complexa e, neste sentido, o Ensino de Geografia efetivado qualitativamente oferece subsídios que ajudam a ampliar a capacidade perceptiva dos estudantes com relação às complexas relações Sociedade e Natureza, favorecendo o entendimento da Complexidade Ambiental. Tudo isto contribui, sobremaneira, para o fortalecimento da prática da Educação Ambiental que deverá efetivar-se de maneira crítica e atuante, via interdisciplinaridade, na busca da transdisciplinaridade, considerando o Paradigma da Complexidade. Com base neste referencial teórico, desenvolveu-se esta pesquisa objetivando identificar a percepção ambiental, no âmbito geográfico, da sociedade irandubense, definindo-se um público constituído de segmentos sociais, incluindo professores e estudantes do sistema de ensino de Iranduba-AM, no contexto amazônico. Justifica-se esse contexto considerando, entre outros, os impactos ambientais provocados por atividades oleiras que abastecem Manaus e das quais a comunidade local se mantém. Essa percepção não acompanha a criticidade da sociedade local, uma vez que a sobrevivência vinda de atividades impactantes se sobrepõe à preocupação com a questão ambiental, considerada do ponto de vista da complexidade que a reveste. Considerando o ensino de Geografia, associado à necessidade de educar para os desafios do mundo contemporâneo, a pesquisa com base numa avaliação diagnóstica, propõe que a percepção ambiental seja estimulada a partir da escola, num tripé que considera: o Paradigma da Complexidade, a Geografia e a Educação Ambiental, de modo a efetivar a busca da construção de modelos de desenvolvimento sustentável para o município de Iranduba, no Estado do Amazonas e, consequentemente, para a Amazônia.

      PALAVRAS-CHAVE : Geografia; Percepção Ambiental, Educação Ambiental; Complexidade; Desenvolvimento Sustentável; Amazônia.


      NOME DO MESTRANDO : TELMA SANTOS DO NASCIMENTO

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Caracterização Atmosférica No Período 1991-2007 em cidades que compõem a Calha do Rio-Solimões- Amazonas”

      NOME DO ORIENTADOR : Jaci Maria Bilhalva Saraiva

      BANCA EXAMINADORA : Jaci Maria Bilhalva Saraiva [PPG-GEOG/SIPAM]

                                                    Magda Adelaide Lombardo [UNES/USP]

                                                    Francisco Evandro Oliveira Aguiar [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 20 de novembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Domínios da Natureza na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Setembro/2007 a Dezembro/2009 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Os estudos de cidades médias e pequenas no estado do Amazonas revela perfis importantes de estruturação econômica e social para a Amazônia Ocidental. As funções exercidas por essas cidades mostram um interessante papel se associada ás condições atmosféricas. Esta pesquisa teve como objetivo caracterizar a circulação atmosférica dos principais fenômenos do tempo em cidades na calha do rio Solimões-Amazonas, no período de 1991 a 2007, analisados por meio de duas variáveis: precipitação pluvial e vento. As cidades selecionadas foram Benjamin Constant, Fonte Boa, Tefé, Coari, Codajás, Manaus, Itacoatiara e Parintins. Na tentativa de compreender se havia variações nas variáveis meteorológicas por conta do quantitativo populacional afetando as condições do tempo de cada cidade fez-se uma revisão bibliográfica dos principais sistemas precipitantes que atuam na região desde a circulação de grande escala, mesoescala e sinótica. A metodologia baseou-se em dados do Instituto Nacional de Meteorologia (para precipitação) e de dados de Reanálise (para o vento). Pela carência de dados e pela própria ausência na série pesquisada foi necessário aplicar técnica de preenchimentos de falhas com base em cálculos estatísticos de regressão linear dos quais foram avaliados os dados do CPC e estes substituíram os dados faltantes. Os principais resultados permitiram construir a normal climatológica provisória (1991-2000) e comparar os valores com cada cidade em estudo. Os resultados dos ventos, demonstraram a presença e o deslocamento da Alta da Bolívia (AB) em altos níveis, durante os meses de setembro, outubro e novembro (período próximo a estação chuvosa) mostrando sua influência nas chuvas na região. Considerando os valores de precipitação e do vento para caracterização das condições atmosférica na calha do rio, para futuras análises é preciso verificar outros elementos climáticos: temperatura, umidade relativa, pressão atmosférica,etc.

      PALAVRAS-CHAVE : Amazônia Ocidental, Clima, Cidades, Precipitação Pluvial, Vento


      NOME DO MESTRANDO : TONGATÉ ARNAUD MASCARENHAS JUNIOR

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Fenômenos Meteorológicos Extremos em Manaus – Am: Sazonalidade e Impactos no Ambiente Urbano”

      NOME DO ORIENTADOR : Francisco Evandro Oliveira Aguiar

      BANCA EXAMINADORA : Francisco Evandro Oliveira Aguiar [DEGEO/UFAM]

                                                    Jaci Maria Bilhalva Saraiva [PPG-GEOG/SIPAM]

                                                    Magda Adelaide Lombardo [USP/UNESP]

      DATA DA DEFESA : 18 de novembro de 2009

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Domínio da Natureza na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Setembro/2007 a Dezembro/2009 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      O estudo do clima urbano cada vez mais se torna necessário nas grandes cidades para fins de planejamento, e, em especial, o estudo dos eventos meteorológicos extremos, que via de regra trazem muitos prejuízos, dependendo de sua intensidade e duração. O tipo de evento meteorológico extremo que mais atinge as cidades brasileiras são os grandes episódios de precipitação e desta forma, a necessidade de prevenção contra estes, se faz cada vez mais prioritária. O objetivo desta pesquisa foi identificar os grandes episódios de precipitação e temperatura na cidade de Manaus, localizada na parte central da Amazônia, em especial nos últimos quarenta e sete anos (1961 a 2007), registrados nas planilhas diárias da estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia – INMET, os impactos das grandes chuvas no cotidiano da população e as reorganizações do espaço, em maior ou menor grau, pelas quais a cidade passou no decorrer do período proposto. Procurou-se relacionar os dados de precipitação e temperatura aos Fenômenos El Niño e La Niña, e observou-se que estes eventos influenciaram os padrões desses parâmetros no decorrer da série estudada. Foram pesquisados na mídia da época os impactos causados. Observou-se que, para Manaus, a tendência é de redução de dias de chuva e aumento de eventos extremos de temperatura, além de aumento significativo no número de dias com temperaturas extremas, acima de 35ºC e redução de dias com temperaturas inferiores a 20ºC. Desse modo, foi possível definir o que pode ser considerado evento extremo de precipitação para Manaus, com base nas conseqüências geradas pelos mesmos. No início da série o valor extremo era 60 mm apresentando redução gradual e atualmente é 50 mm diários.

      Palavras-Chave : Eventos Meteorológicos Extremos; Precipitação; Temperatura; Manaus.


       

       

    • Turma 2010

      Turma 2010

      NOME DO MESTRANDO: ANTONIO CARLOS BATISTA DE SOUZA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO: “Sítios Na Várzea do Baixo Rio Solimões: Rupturas e Adaptações na Costa do Pesqueiro – Município de Manacapuru-Am”

      NOME DO ORIENTADOR: Prof. Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz

      BANCA EXAMINADORA: Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz – DEGEO/UFAM

                                             Dr. Sílvio Simione da Silva - UFAC

                                             Dr. Nelcioney José de Souza Araújo – DEGEO/UFAM

      DATA DA DEFESA: 22 de dezembro de 2010

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Pretende-se com esse estudo, compreender o processo de formação/transformação dos sítios no ambiente de várzea do complexo Solimões-Amazonas, considerando as principais práticas de manejo e sua repercussão na organização da produção dos pequenos agricultores que habitam a Costa do Pesqueiro, município de Manacapuru-AM. Nesses antigos sítios no passado predominavam grandes seringais e cacoais que dominavam a paisagem, mas que agora estão sendo enriquecidos por espécies frutíferas, como o cupuaçu, côco, banana, açaí, jambo, limão, caju, graviola e muitas outras espécies de valor econômico e nutritivo. Mesmo com a decadência do ciclo da borracha na Amazônia, e consequentemente da perda pelo interesse na exploração das seringueiras e cacaueiros, os antigos sítios (seringais) ainda são encontrados em várias propriedades da Costa do Pesqueiro, mesmo que consorciados com outras espécies arbóreo-frutíferas adaptadas às condições ambientais da região amazônica. Apesar das seringueiras e cacaueiros terem perdido a importância do ponto de vista comercial, permanecem, em virtude do laço afetivo que os moradores mantêm com esse ambiente, pois muitos deles, principalmente os mais idosos, foram os responsáveis pelo plantio. Contudo, os moradores mais novos e migrantes, sem esse laço afetivo, iniciaram o processo de derrubada. Os sítios do baixo rio Solimões vivem entre a ruptura e a adaptação. No passado, a borracha e o cacau, hoje, principalmente, o cupuaçu. Dessa forma, refletiremos sobre as transformações que vêm ocorrendo nesses sítios, desde a crise da borracha e a ascensão de outras espécies frutíferas.

      Palavras-Chave: Sítios – produção familiar camponesa – várzea - Amazônia


      NOME DO MESTRANDO: DANIELA ALVES CARVALHO

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO: “Na Curva do Rio” onde o Pirarucu e a Cidade se Mesclam: Um Estudo sobre o Papel da Cidade de Fonte Boa na Rede Urbana da Calha do Rio Solimões/Am”

      NOME DO ORIENTADOR Profa. Dra. Tatiana Schor

      BANCA EXAMINADORA  Dra. Tatiana Schor – DEGEO/UFAM

                                             Dr. George Henrique Rebelo - INPA

                                             Dr. Nelcioney José de Souza Araújo – DEGEO/UFAM

      DATA DA DEFESA: 04 de novembro de 2010

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – A aluna defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Entender a dinâmica urbana na Amazônia ocidental é um desafio. Entendê-la por meio da análise dos impactos das diversas políticas ambientais é um desafio ainda maior. É nesse contexto que esta dissertação se insere. Busca-se compreender o papel de Fonte Boa na rede urbana da calha do rio Solimões no Amazonas, por meio da análise das políticas ambientais, da origem do núcleo urbano no Brasil colônia, do papel das missões católicas, dos Movimentos Eclesiais de Base (MEB) ao Manejo Sustentável do Pirarucu. Os impactos, as transformações e permanências na estrutura e na rede urbana decorrentes desses processos são analisadas e o Pirarucu torna-se elo essencial. É o Manejo Sustentável da espécie nativa que dinamiza a rede urbana. É o produto não-urbano que urbaniza a região.

      Palavras chaves: Políticas Ambientais, MEB, Rede Urbana, Manejo Sustentável, Pirarucu, Fonte Boa/AM.


      NOME DO MESTRANDO: DIANE MARIA DE OLIVEIRA SACRAMENTA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO “Lugares que Migram: As Imagens do Mundo Vivido pelos assentados do Canoas – Presidente Figueiredo(Am)”

      NOME DO ORIENTADOR: Profa. Dra. Amélia Regina Batista Nogueira 

      BANCA EXAMINADORA: Dra. Amélia Regina Batista Nogueira – DEGEO/UFAM

                                             Dr. Benhur Pinós da Costa – UFSM/RS

                                             Dr. Nelcioney José de Souza Araújo – DEGEO/UFAM

      DATA DA DEFESA: 20 de dezembro de 2010

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – A aluna defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      O Canoas apresenta-se como Comunidade e Assentamento rural. Sua dinâmica pode se melhor compreendida considerando duas etapas, antes e após a chegada do Projeto de Assentamento (P.A.). Nesse sentido, o objetivo deste trabalho foi descrever e compreender como os migrantes assentados representam suas vivências e os lugares de seus trajetos, bem como o Canoas, criando com ele uma relação de identidade. Participaram da pesquisa dez colaboradores adultos, não naturais da região norte, devido às experiências adquiridas na migração, e três dos antigos habitantes do lugar, demonstrando a percepção sobre a chegada desses novos sujeitos. Os mapas mentais e a história oral nos auxiliaram no acesso ao mundo vivido de cada indivíduo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, na perspectiva fenomenológica da Geografia. Portanto, esta pesquisa contribui na compreensão da (re) construção do lugar nas multidimensionalidades do vivido, bem como, da relação de identidade existente, ou não, pois é a partir da manifestação das relações estabelecidas que o mesmo acontece. 

      Palavras-Chave: Percepção, Representação, Lugar, Migração, Identidade


      NOME DO MESTRANDO: EUBIA ANDRÉA RODRIGUES

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO: “Rede Urbana do Amazonas: Tefé como Cidade Média de Responsabilidade Territorial na Calha do Médio Solimões”

      NOME DO ORIENTADOR: Profa. Dra. Tatiana Schor

      BANCA EXAMINADORA Dra. Tatiana Schor – DEGEO/UFAM

                                             Dr. Paola Verri de Santana – DEGEO/UFAM

                                             Dr. Nelcioney José de Souza Araújo – DEGEO/UFAM

      DATA DA DEFESA: 11 de março de 2011

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – A aluna defendeu fora do tempo previsto

      RESUMO

      As sociedades contemporâneas são caracterizadas por alguns autores como “sociedade em rede”, configurando um espaço interconectado e integrado, além de desigual, frente ao desenvolvimento técnico-científico, mas mesmo assim organizado em rede. Essa desigualdade implica em uma hierarquização, que por sua vez define o papel das cidades na rede. Na Amazônia Brasileira esta desigualdade consolida determinados aspectos da rede urbana, adequando-se, ou não, aos novos circuitos da economia. A rede urbana do rio Solimões no Amazonas apresenta desigualdades profundas, e é nela que surgem cidades com características específicas. Tefé, cidade escolhida para realizar este estudo, é uma delas. A cidade de Tefé vem (re) produzindo seu espaço em função das novas perspectivas da urbanização acompanhando o crescimento urbano do Brasil. Existem diversos estudos que visam caracterizar a rede urbana Brasileira. Os estudos do IBGE e de grupos de pesquisas tais como o ReCiMe e o NEPECAB, trazem algumas perspectivas analíticas que são debatidas no decorrer deste estudo. Dentre estas ressaltamos a do NEPECAB que caracteriza Tefé como “cidade média de responsabilidade territorial”. O termo responsabilidade territorial aplicado à cidade indica uma dinâmica particular na rede urbana. É através desta cidade que um determinado trecho da rede urbana é mantido coeso e a vida da na cidade é preservada. A ideia de que uma cidade tem responsabilidade (funcional, infra-estrutural, étnica, ética) sobre um determinado território ou região, (geográfico e político) mereceu um aprofundamento teórico e metodológico. Neste sentido, procurou-se tecer algumas considerações sobre região, destacando a centralidade de Tefé na rede urbana do rio Solimões, ou seja, na região oeste da calha do Médio Solimões-Amazonas, compreendendo a funcionalidade, em especial da rede comercial (produção e circulação de mercadorias), que a cidade exerce. Para tal e com objetivo esclarecer a função de Tefé na rede urbana do Médio Solimões-Amazonas, a investigação se desenvolveu por meio de levantamentos documentais históricos visando comparar a cidade do passado com a atual, realizou uma série de levantamentos em campo que tornasse possível entender a atual dinâmica desta cidade nesta rede. Com o estudo de caso de Tefé surgiram algumas reflexões que buscam aprofundar as discussões sobre cidade de responsabilidade territorial, rede urbana, além de região, centralidade e cidades médias no Amazonas, na Amazônia e no Brasil, contribuindo para o debate na geografia urbana e econômica e por fim da sociedade em rede.

      Palavras-chave: Rede Urbana; Cidade Média de Responsabilidade Territorial; ReCiMe; NEPECAB;Tefé; Amazonas


       

      NOME DO MESTRANDO: GEORGETE CABRAL DE ABREU

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO “Território da Pesca: O Uso do Espaço Aquático no Baixo Rio Solimões - Município de Manacapuru – Am”

      NOME DO ORIENTADOR Prof. Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz

      BANCA EXAMINADORA Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz – DEGEO/UFAM

                                         Dr. Silvio Simione da Silva - UFAC
                                         Dr. Ricardo José Batista Nogueira – DEGEO/UFAM

      DATA DA DEFESA: 23 de abril de 2011

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – A aluna defendeu fora do tempo previsto

      RESUMO

      A Amazônia é abundante em recursos naturais. Seus ambientes de várzea e terra firme são propícios às atividades haliêuticas, cada vez mais procuradas pelos pescadores ribeirinhos. A pesca artesanal é uma atividade muito praticada pelos oradores da Amazônia e esta prática não é diferente na Costa do Laranjal, município de Manacapuru, Estado do Amazonas, área de estudo deste trabalho. A pesca realizada pelos atores sociais desta localidade faz-se em locais territorializados, embora estes espaços aquáticos sejam legalmente de acesso livre e de uso comum. A gestão desses territórios é realizada pelos atores sociais que habitam aquela área. Pretende-se com essa pesquisa analisar o uso do rio principal e a apropriação do espaço aquático, em função do capital extraída da água, bem como a sua relação com a indústria pesqueira. Para a realização deste trabalho, foi necessário: levantamento bibliográfico, pesquisa de campo, com entrevistas semi-estruturadas e relato de história oral, uso de GPS para demarcação dos locais de pesca, máquina fotográfica, gravador, além de outros recursos metodológicos. Desta forma, os pescadores são subordinados a esses processos criados pelo próprio sistema de produção capitalista Nessa relação, ambos são beneficiados, porém, os empresários ficam com a maior parcela do rendimento total. Verificou-se que os pescadores estão subordinados aos processos impostos pelo sistema capitalista, desenvolvendo suas atividades na terra e na água combinando as mesmas.

      Palavras-chave: Território, Territorialidade, Pesca, Comunidade


      NOME DO MESTRANDO: ILÉIA MARIA DE JESUS PINTO

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO: “A (Re) Significação do Lugar: Comunidades de Pescadores na Cidade Manaus – Am”

      NOME DO ORIENTADOR: Profa. Dra. Amélia Regina Batista Nogueira

      BANCA EXAMINADORA: 

      Dra. Amélia Regina Batista Nogueira – DEGEO/UFAM

      Dr. Josué da Costa Silva - UFRO

      Dr. Reinaldo Corrêa Costa – PPG-GEOG/INPA

      DATA DA DEFESA: 21 de dezembro de 2010

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Esta dissertação foi fundamentada numa abordagem cultural dentro da geografia e teve como base de sustentação a fenomenologia que busca por meio da experiência humana, individual, e cultural dar sentido ao espaço percebido tal como ele se apresenta, destacando a intencionalidade da percepção, buscando reconhecer possibilidade metodológica na ciência geográfica centrada na percepção do mundo vivido dos ribeirinhos que vivem na cidade, em particular os pescadores citadinos. Diante deste quadro, também foi valorizada a questão da identidade, pois a (re) significação de um lugar revela-se na existência de uma identidade. Para os povos indígenas a pesca se destacava como uma das principais práticas de subsistência associada às demais atividades extrativistas e agrícolas. Essa herança cultural ainda se faz presente nas Comunidades Ribeirinhas do interior do Estado. Dessa forma, foi buscado compreender o lugar a partir da cultura ribeirinha presente na cidade, quais resistências culturais ainda persistem para aqueles que vieram do interior do Estado do Amazonas e de outros Estados do Brasil para as Comunidades Ribeirinhas localizadas nos arredores da cidade de Manaus, e quais as influências da cultura urbana contribuíram para uma nova configuração dos modos de vida dos pescadores que aqui vivem.

      PALAVRAS CHAVES: Geografia Cultural, modo de vida, cultura ribeirinha, identidade, lugar.


      NOME DO MESTRANDO: MARIA LUCIMAR DA SILVA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO: “Agricultura Familiar e Cooperativismo na Comunidade Sagrado Coração de Jesus do Paraná da Eva - Itacoatiara/Am”

      NOME DO ORIENTADOR: Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz

      BANCA EXAMINADORA

      Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz – DEGEO/UFAM
      Dra. Edilza Laray de Jesus - UEA
      Dra. Amélia Regina Batista Nogueira – DEGEO/UFAM

      DATA DA DEFESA: 23 de dezembro de 2010

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – A aluna defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Este trabalho tem como objetivo pesquisar o processo produtivo da pequena agricultura familiar da comunidade Sagrado Coração de Jesus, localizada no Paraná da Eva, em Itacoatiara/AM. O histórico de formação da comunidade, que evoluiu de um processo associativo para o cooperativismo e que hoje conta com a estrutura de uma agroindústria, é o foco maior da pesquisa. Interessa-nos analisar todo o processo desde sua produção, beneficiamento e distribuição bem como a forma de gestão da cooperativa e da agroindústria. O pequeno produtor familiar na Amazônia tem que superar as dificuldades naturais do espaço tais como enchentes e vazantes, mas também, em função de características naturais tão peculiares, quase sempre tem que submeter sua produção aos atravessadores, o que reduz em muito sua margem de renda. Responder como a comunidade do Sagrado Coração de Jesus através da cooperativa, que é gestora da agroindústria, conseguiu superar esses entraves e expandir sua produção gerando emprego e renda para seus cooperados e tornar-se exemplo de sucesso para outras comunidades faz parte dos questionamentos desse trabalho. A coleta de dados foi obtida através de entrevistas e observação participante junto aos comunitários e cooperados da localidade.

      Palavras-chave: Produção Familiar, Comunidade, Cooperativismo, Ascope


      NOME DO MESTRANDO: RENATO FERREIRA DE SOUZA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO: “Associação entre Fatores Socioambientais e a presença do Vetor da Dengue: Uma perspectiva da Geografia da Saúde na Cidade de Manaus”

      NOME DO ORIENTADOR: Profa. Dra. Adorea Rebello da Cunha Albuquerque

      BANCA EXAMINADORA

      Dra. Adorea Rebello da Cunha Albuquerque – DEGEO/UFAM

      Dr. Wanderli Pedro Tadei - INPA
      Dr. Sylvain Jean Marie Desmouliére – FIOCRUZ

      DATA DA DEFESA: 30 de novembro de 2010

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Domínios da Natureza na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      A Geografia da Saúde tem contribuído bastante nos estudos sobre o processo saúde-doença. Essa abordagem permite compreender a dinâmica que ocorre no espaço geográfico em relação a um determinado agravo ou doença. O comportamento da distribuição espacial do dengue é um bom exemplo para compreender essa dinâmica. Dessa forma, essa pesquisa procurou associar a densidade larval na cidade de Manaus através do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), mas levando em consideração fatores ambientais e sociais que estão associados no processo saúde-doença. Tendo como base os dados de infestação predial e os tipos de criadouros do mosquito obtidos pelo LIRAa no período de 2008 a 2009, foram utilizadas as médias dos dados do primeiro semestre, identificando que 47,2% dos estratos mapeados apresentam alto risco de infestação, sendo que as áreas mais vulneráveis ao vetor são as zonas norte, leste, centro-sul e sul. No entanto, utilizando as médias para o segundo semestre, identifica-se uma redução dos estratos mapeados com alto risco de infestação, representado
      15%, localizados nas zonas norte e leste. O combate ao vetor da dengue é um compromisso de toda a sociedade e requer atenção não apenas de setores ligados à área da saúde, mas de outros setores que também estão associados ao controle do vetor, como por exemplo, limpeza pública e saneamento. Manaus por sua localização geográfica e seu clima acaba sendo o espaço propício para uma possível epidemia de dengue. Portanto, compreender os fatores socioambientais para mapear o dengue é uma perspectiva que deve ser adotada, principalmente com a ajuda de instrumentos que possam auxiliar as ações de controle vetorial, como é o caso do LIRAa.

      Palavras-chave: LIRAa, Manaus, vetor da dengue


      NOME DO MESTRANDO: RICARDO DE JESUS CARDOSO

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO: “A Geograficidade dos Habitantes do Rio Cuieiras: Percepções de Um Mundo Vivido”

      NOME DO ORIENTADOR: Profa. Dra. Amélia Regina Batista Nogueira

      BANCA EXAMINADORA

      Dra. Amélia Regina Batista Nogueira – DEGEO/UFAM
      Dr. Benhur Pinós da Costa - UFSM
      Dr. Manuel de Jesus Masulo da Cruz – DEGEO/UFAM

      DATA DA DEFESA: 18 de dezembro de 2010

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      No entorno do espaço urbano do município de Manaus-AM, registra-se um número expressivo de comunidades ribeirinhas e indígenas, revelando também uma rica e complexa realidade sociocultural e formas específicas de relacionamento com a natureza. Esta pesquisa teve como objetivo central compreender a dinâmica de vida dos habitantes das comunidades ribeirinhas do rio Cuieiras, área rural do município de Manaus, a partir de suas relações socioculturais, ambientais e afetivas com o lugar. O ponto de partida para o desvendamento do mundo vivido dos habitantes do rio Cuieiras foi o olhar fenomenológico, discussão na Geografia respaldada na corrente humanística-cultural que tem entre seus objetivos interrogar o sujeito a respeito de como este constrói sua visão de mundo e estabelece formas específicas de relacionamento com a natureza a partir do mundo experienciado e vivido a cada dia, elementos fundamentais para a construção das geograficidades do ser e, numa outra escala, pelo conjunto dos grupos sociais, compreender as diversas formas de habitar cada lugar num sentido existencial. Nesse sentido, priorizamos as percepções e as experiências destes habitantes como verdade primeira sobre o lugar. Em relação aos resultados, destacamos as histórias, a dinamicidade sociocultural e ambiental dos habitantes das comunidades ribeirinhas do rio Cuieiras que revela formas específicas de habitar o lugar em sua autonomia, criatividade, diversidade e complexidade. Trata-se de todo um conjunto de saber e aquisição de valores afetivos, construído ao longo do tempo, sobre o lugar que se traduz em geograficidade, que deveria ser levado em conta pelas políticas públicas sociais e ambientais, visando a busca do equilíbrio entre a conservação da natureza e o direito de habitar dos moradores das comunidades ribeirinhas e indígenas do rio Cuieiras.

      Palavras-chave: lugar, cultura, geograficidade, percepção, mundo vivido


      NOME DO MESTRANDO: RICHARLISON DA COSTA E SILVA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO: “Análise da Produção Científica em Programas de Pós-Graduação em Geografia no Brasil (1987-2006)”

      NOME DO ORIENTADOR: Prof. Dr. Ricardo José Batista Nogueira

      BANCA EXAMINADORA

      Dr. Ricardo José Batista Nogueira – DEGEO/UFAM

      Dr. Benhur Pinós da Costa - UFSM

      Dra. Amélia Regina Batista Nogueira – DEGEO/UFAM

      DATA DA DEFESA: 17 de dezembro de 2010

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Este estudo inventaria, descreve e analisa a pesquisa em Programas de Pós-graduação em Geografia no Brasil no período de 1987 a 2006. Foram analisados 3992 títulos de teses e dissertações. Os dados bibliográficos e os resumos dos trabalhos foram obtidos no Banco de Teses da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Os resumos foram analisados segundo a proposta de Análise de Conteúdo de Bardin (1977). Os resultados obtidos revelam um domínio da área de Geografia Humana, um declínio da proporção de trabalhos na área de Geografia Física e uma tendência crescente dos estudos ambientais.

      Palavras-chave: Geografia. Estado da Arte. Pós-graduação. Produção Geográfica


      NOME DO MESTRANDO: ROBERT CARVALHO DE AZEVEDO DAVID

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO: “A Dinâmica do Transporte Fluvial de passageiros no Estado do Amazonas”

      NOME DO ORIENTADOR: Prof. Dr. Ricardo José Batista Nogueira

      BANCA EXAMINADORA

      Dr. Ricardo José Batista Nogueira – DEGEO/UFAM
      Dr. Nilson Rodrigues Barreiros – FT/UFAM
      Dr. Reinaldo Corrêa Costa – PPG-GEOG/INPA

      DATA DA DEFESA: 16 de dezembro de 2010

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Mesmo com maciços investimentos em outras modalidades de transporte visando integrar a região amazônica ao restante do país, o transporte fluvial ainda predomina nas atividades desenvolvidas no Estado do Amazonas, seja de maneira direta, com os sujeitos envolvidos no transporte fluvial de passageiros, como os armadores, tripulantes e passageiros; ou de maneira indireta, com os agricultores e seus familiares que necessitam do transporte para a venda de seus produtos, além dos feirantes e moradores da cidade de Manaus que utilizam diversos recursos transportados por via fluvial. Não se pode negar a Amazônia sofreu substanciais mudanças, que ocorreram também em relação ao transporte, que não foge da lógica capitalista de transformação do espaço. Investigou-se durante a pesquisa a dinâmica do transporte na rede fluvial amazônica, principais rotas, conexões e a condições para a manutenção do empreendimento. Nesse sentido, utilizamos a como bases analíticas para a pesquisa a categoria Espaço e os conceitos de Técnica, Fluxo e Redes, que vêm sendo um meio de análise muito usado na Geografia, devido a sua capacidade para compreender a articulação entre os lugares, pois a sociedade, assim como os meios de transportes, organiza-se em redes. Para este trabalho utilizamos como principais fontes de obtenção de dados o trabalho de campo, a partir de entrevistas e viagens nas embarcações; e visitas a órgãos competentes. Tomamos como ponto de partida para análise o Porto da Manaus Moderna, já que o fluxo da navegação amazônica acontece predominantemente a partir desse porto, elegemos assim, cinco calhas principais para estudo, por nelas estarem inseridas importantes rotas que estão ligadas ao funcionamento das cidades pertencentes à calha. Algo que marca o transporte fluvial amazônico tradicional, além de outros fatores é a má condição de atendimento e de condição física dos barcos, geralmente os barcos são sujos, existem filas para comer, e a na maioria das vezes as viagens atrasam. O transporte dos barcos tradicionais é realizado de maneira mista, parando em diversas localidades, para carga e descarga de pessoas, objetos e produtos. No entanto, a partir da investigação realizada percebemos o crescimento dos barcos Expressos, que prioriza o transporte para passageiros, assim, as viagens são mais rápidas, mas apresentam um custo maior para os passageiros. Esses barcos estão presentes em várias rotas do transporte regional, de certa forma, rompendo com as longas viagens entre as cidades. O que possibilita esse tipo de embarcação ser mais leve e mais rápida é que ela é feita com intuito de transportar principalmente passageiros, o aumento da procura desse segmento da navegação fluvial amazônica tem sido uma constante, havendo assim, uma mudança no padrão de navegação da Amazônia, pois alguns deslocamentos que eram feitos em dias, são realizados por essas embarcações em algumas horas. Dessa forma, percebe-se uma tendência de expansão dessa modalidade em outras rotas na Amazônia, basicamente ligando as principais cidades à capital Manaus, maior mercado de origem e destino de passageiros.

      Palavras Chave: Transporte Fluvial, Circulação, Passageiros.


      NOME DO MESTRANDO: ROZINEI LIMA MARTINS

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO: “A Territorialidade como nova possibilidade de (re)significar a Identidade Apurinã na Cidade de Manaus”

      NOME DO ORIENTADOR: Profa. Dra. Amélia Regina Batista Nogueira

      BANCA EXAMINADORA

      Dra. Amélia Regina Batista Nogueira – DEGEO/UFAM
      Dr. Josué da Costa Silva – UFRO
      Dr. Ricardo José Batista Nogueira – DEGEO/UFAM

      DATA DA DEFESA: 21 de dezembro de 2010

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA: Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO: Setembro/2008 a Dezembro/2010 – A aluna defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Essa pesquisa discute a temática dos indígenas na cidade, mais especificamente das famílias Apurinã. Para melhor entender essa realidade é que propusemos como objetivo central desta pesquisa, tentar compreender como os indígenas Apurinã, fora de seu lugar de origem recriam sua territorialidade na cidade. O trabalho baseou-se em pesquisa bibliográfica, documental e de campo. A discussão está embasada na nova abordagem Humanística da Geografia numa perspectiva em que a categoria território e territorialidade nos ajudam a compreender como os Apurinã se organizam no contexto urbano. A territorialidade está principalmente ligada, àquela noção de território, porém indica para além desta categoria física e compreende uma dimensão não só política, mas também o simbólico-cultural, muito embora esta segunda dimensão seja pouco discutida na Geografia. A metodologia utilizada foi historia oral de vida em que foram utilizadas 15 entrevistas com indígenas que vieram da aldeia e por algum motivo estão residindo na cidade. Além de outros procedimentos metodológicos como anotações e observações diretas, durante o período de 2008 a 2010, que nos ajudam a perceber que os Apurinã estão concentrados em pequenos grupos familiares espalhados por vários bairros da cidade, vivendo na sua maioria em situação precária, porém encontram através de estratégias próprias diferentes formas de não perder sua identidade, e ao mesmo tempo lutar por melhores condições de vida no contexto urbano.

      Palavras-chave: Território,Territorialidade, Indígenas Apurinã, Cidade


       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

    • Turma 2011 - 01

      Turma 2011 - 01

      NOME DO MESTRANDO :ELIAS DE OLIVEIRA MORAES

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Corporação em Rede: Um Estudo sobre a Moto Honda da Amazônia”

      NOME DO ORIENTADOR : Dr. Ricardo José Batista Nogueira

      BANCA EXAMINADORA : Dra. Maria Goretti da Costa Tavares [UFPA]
                                                     Dr. Nelcioney José de Souza Araújo [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 19 de dezembro de 2011

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Agosto/2009 a Dezembro/2011 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      A grande corporação constitui-se em um dos mais importantes agentes da reorganização espacial capitalista. Sua ação, após a Segunda Guerra Mundial, produziu uma Nova Divisão Internacional do Trabalho, caracterizada pela formação de numerosas e complexas redes que no plano geográfico conecta a sede de uma grande corporação com diversas empresas subsidiárias em diferentes regiões e países. Assim sendo, é a partir desse ponto que se coloca a finalidade desta pesquisa: compreender a organização espacial da empresa Moto Honda da Amazônia para efetivar a produção e distribuição de motocicletas em todo território nacional. Trata-se de um estudo de caso, e como fundamentação teórica, foi feito um levantamento bibliográfico sobre grandes corporações e a formação de redes de localizações geográficas, além de pesquisas de campo na sede da própria empresa. Inaugurada em 1976 no Pólo Industrial de Manaus, a Moto Honda da Amazônia é uma das indústrias mais importantes do país, dado o volume de sua produção que representou, em 2011, 79% do mercado nacional de motos. Para isso, organiza uma densa e ramificada rede de localizações geográficas, envolvendo um grande número de empresas subsidiárias, depósitos, centros de distribuição, bancos, serviços financeiros além de centenas de concessionárias que efetivamente articulam as atividades da empresa, consolidando um espaço integrado no país e além de suas fronteiras, considerando a soma das exportações de motos que envolve todos os países do continente americano e alguns países da Europa, África e Ásia. A Moto Honda da Amazônia constitui, na realidade, uma ramificação da Honda Motor Company, um poderoso conglomerado com sede em Tóquio que é líder mundial na produção de motocicletas e um dos maiores produtores de automóveis e produtos de força. Trata-se, portanto, de um grande conglomerado industrial que, dotado de recursos financeiros injetados do exterior, encontrou no Brasil um mercado incrivelmente promissor e estabeleceu progressivamente um espaço de atuação em nível nacional.

      Palavras-chaves : Moto Honda, rede de localizações


      NOME DO MESTRANDO : HILKIA ALVES DA SILVA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Gestão Ambiental Participativa em Espaço Protegido: o caso co Paraná do Aranapú na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá”

      NOME DO ORIENTADOR : Dra. Elizabeth da Conceição Santos

      BANCA EXAMINADORA : Dra. Elizabeth da Conceição Santos [PPG-GEOG/UEA]
                                                     Dra. Edila Arnaud Ferreira Moura [UFPA]
                                                     Dr. Ricardo José Batista Nogueira [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 14 de dezembro de 2011

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Agosto/2009 a Dezembro/2011 – A aluna defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Conciliar a proteção ambiental com a presença humana e a necessidade de desenvolvimento econômico, social e cultural é o objetivo de algumas categorias de Unidades de Conservação. Neste sentido, a presente dissertação intitulada “Gestão Ambiental Participativa em Espaço Protegido: O Caso do Paraná do Aranapú na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá/AM” pretende ser uma contribuição nas discussões sobre gestão participativa em espaço legalmente protegido. Partimos da abordagem geográfica acerca das categorias espaço e território para compreender um dos aspectos intrínsecos à temática sobre o ordenamento territorial e ambiental que é a criação e gestão de espaços protegidos. Por outra via discutiu-se a Gestão Ambiental Participativa e problematizou-se a Educação Ambiental como base teórico-metodológica, ou seja, instrumento de mediação de conflitos no processo de gestão ambiental participativa do setor “Aranapú” da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, local de fundamentação empírica desse trabalho. Analisar o processo de gestão ambiental participativa numa visão da Educação Ambiental como processo para o estabelecimento de novas relações da sociedade local, entre si, e dela com a natureza, foi nosso objetivo principal. Através do enfoque qualitativo a pesquisa buscou descrever o processo participativo, identificando as possibilidades e limites para a continuidade na visão comunitária. Para tanto se utilizou de entrevistas semiestruturadas realizadas com 65% dos chefes dos domicílios das oito comunidades. Considerando a dinâmica hídrica da área optou-se por realizar tais entrevistas em dois momentos: período da cheia e período da vazante, a fim de compreender as relações dos ribeirinhos com o ambiente a cada modificação da paisagem. O Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá-IDSM co-gestor da RDSM, desenvolve junto com as comunidades o manejo dos recursos naturais, uma forma de compensá-los pelas restrições estabelecidas no Plano de Manejo, visando à conservação da biodiversidade e a melhoria da qualidade de vida da população local. Assim os comunitários precisam estar organizados e terem comprometimento na execução das atividades. No entanto, é perceptível que as “regras” existentes nem sempre são seguidas por todos os comunitários, enquanto existem os que dedicam parte de seu tempo à fiscalização dos recursos, trabalho voluntário, também têm aqueles que permitem a entrada de terceiros nos lagos de uso exclusivo das comunidades, ou mesmo em áreas proibidas. A pesquisa destaca as múltiplas relações que se produzem em um processo participativo buscando compreender os significados expressos pelos atores, assim como sensibilizá-los através das informações que a Educação Ambiental pode viabilizar.

      Palavra-chaves : Gestão ambiental, participação, Educação Ambiental, Unidade de Conservação


      NOME DO MESTRANDO : IAN MARINS SEIXAS

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Geotecnologias Aplicadas ao Estudo de Precipitação e Desmatamento na Porção Sul da Amazônia”

      NOME DO ORIENTADOR : Dr. Eduardo da Silva Pinheiro

      BANCA EXAMINADORA : Dr. Eduardo da Silva Pinheiro [DEGEO/UFAM]
                                          Dr. Rodrigo Augusto Ferreira de Souza [EU/INPA]
                                          Dr. Naziano Pantoja Filizola Jr [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 11 de novembro de 2011

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : " Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Dominios da Natureza na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Agosto/2009 a Dezembro/2011 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      A grande corporação constitui-se em um dos mais importantes agentes da reorganização espacial capitalista. Sua ação, após a Segunda Guerra Mundial, produziu uma Nova Divisão Internacional do Trabalho, caracterizada pela formação de numerosas e complexas redes que no plano geográfico conecta a sede de uma grande corporação com diversas empresas subsidiárias em diferentes regiões e países. Assim sendo, é a partir desse ponto que se coloca a finalidade desta pesquisa: compreender a organização espacial da empresa Moto Honda da Amazônia para efetivar a produção e distribuição de motocicletas em todo território nacional. Trata-se de um estudo de caso, e como fundamentação teórica, foi feito um levantamento bibliográfico sobre grandes corporações e a formação de redes de localizações geográficas, além de pesquisas de campo na sede da própria empresa. Inaugurada em 1976 no Pólo Industrial de Manaus, a Moto Honda da Amazônia é uma das indústrias mais importantes do país, dado o volume de sua produção que representou, em 2011, 79% do mercado nacional de motos. Para isso, organiza uma densa e ramificada rede de localizações geográficas, envolvendo um grande número de empresas subsidiárias, depósitos, centros de distribuição, bancos, serviços financeiros além de centenas de concessionárias que efetivamente articulam as atividades da empresa, consolidando um espaço integrado no país e além de suas fronteiras, considerando a soma das exportações de motos que envolve todos os países do continente americano e alguns países da Europa, África e Ásia. A Moto Honda da Amazônia constitui, na realidade, uma ramificação da Honda Motor Company, um poderoso conglomerado com sede em Tóquio que é líder mundial na produção de motocicletas e um dos maiores produtores de automóveis e produtos de força. Trata-se, portanto, de um grande conglomerado industrial que, dotado de recursos financeiros injetados do exterior, encontrou no Brasil um mercado incrivelmente promissor e estabeleceu progressivamente um espaço de atuação em nível nacional.

      Palavras-chaves : Moto Honda, rede de localizações


      NOME DO MESTRANDO : IVAN LINHARES PINHEIRO

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “As Incursões de Ar Frio no Estado do Amazonas”

      NOME DO ORIENTADOR : Dra. Jaci Maria Bilhalva Saraiva

      BANCA EXAMINADORA : Dra. Flor Jaci Maria Bilhalva Saraiva [SIPAM]
                                                     Dr. Francisco Evandro Oliveira Aguiar [DEGEO/UFAM]
                                                     Dr. Júlio Tota Silva [UEA/INPA]

      DATA DA DEFESA : 26 de abril de 2012

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Dominios da Natureza na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Agosto/2009 a Dezembro/2011 – O aluno defendeu fora do tempo previsto

      RESUMO

      O estado do Amazonas é atingido anualmente pelas incursões de ar frio durante inverno austral. Essas massas de ar frio de origem polar, localmente conhecidas por friagens, ocasionam quedas bruscas de temperatura do ar. No presente trabalho foram analisados os 14 casos de friagem ocorridos no estado do Amazonas durante o período de 2000 a 2010 com dados de temperatura mínima do Instituto Nacional de Meteorologia. Dados do modelo numérico (NCEP/NCAR) foram utilizados para fazer a simulação das condições sinóticas e dinâmicas que antecederam evento de Julho de 2010, o mais intenso do período estudado, que apresentou temperaturas de 11.8°C no sudoeste do estado e 16°C em Iuauretê, já no hemisfério norte. A população dos estudantes das cidades dos sudoeste do Amazonas, em sua maioria, não sofre impactos negativos com as incursões de ar frio. Porém, a partir da análise de dados da Secretaria Estadual de Produção Rural (SEPROR), verifica-se que a produção de peixes pode ser seriamente afetada com eventos intensos de friagem, caindo a produção, gerando prejuízos para piscicultores e consequentemente para a economia do Amazonas.

      Palavras-Chaves : Amazônia, Amazonas, friagens e impactos sociais.


      NOME DO MESTRANDO : JAQUELINE DO ESPÍRITO SANTO SOARES DOS SANTOS

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “A Geopolítica do Transporte de Manaus: o papel da informalidade na Constituição do Transporte Coletivo (1990-2010)”

      NOME DO ORIENTADOR : Dra. Tatiana Schor

      BANCA EXAMINADORA : Dra. Tatiana Schor [DEGEO/UFAM]
                                                    Dr.Vitor Ribeiro Filho [UFU]
                                                    Dr. Otoni Moreira de Mesquita [ICHL/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 16 de dezembro de 2011

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Agosto/2009 a Dezembro/2011 – A aluna defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Os conflitos entre os agentes participantes do transporte convencional, permissionário e informal, regularizados e fiscalizados pelo poder público municipal configuram a geopolítica dos transportes. Esta pesquisa buscou compreender as características da geopolítica do transporte de passageiros em Manaus entre os anos de 1990 a 2010, bem como reconhecer a geohistória do transporte coletivo considerando a expansão urbana, o crescimento populacional e a necessidade de circulação que influenciaram para o recrudescimento do transporte informal. Assim, procurou-se avaliar a relação do poder público com os agentes desse tipo de transporte dentro do sistema. Para isso foram analisados aspectos históricos do transporte coletivo que facilitaram a entrada da informalidade (o papel do ônibus) e seus elementos que caracterizam suas modalidades na regionalização do sistema. Como resultados apontam-se o emaranhado de teias que formam o transporte coletivo devido os constantes conflitos entre seus agentes, pois as modalidades buscam prevalecer no sistema, com a regularização dos mototaxistas que gera insegurança pela perda de passageiros com os taxistas. O impasse a permanência dos Executivos, a duvidosa qualidade dos serviços oferecidos pelos Alternativos e o aparecimento/crescimento da atuação dos ônibus “piratas” e triciclos pelas ruas da cidade fazendo emergir do transporte informal essas categorias que reivindicam suas regularizações forçando o poder público a acatar. Concluindo, o transporte convencional vivencia um momento de pressão, onde o transporte informal está mais conectado as falhas do sistema de transporte. Ainda, o aumento da tarifa é justificado por “investimentos” na compra de novos ônibus, mas a população se pergunta: Cadê os novosônibus? Não perceptível a melhoria proclamada pelo poder público com essa ação deixando cada vez mais complicado a condição das pessoas que dependem do transporte coletivo. No entanto, a atual situação permite procurar por outras soluções, alternativas que se integrem ao transporte coletivo, como a criação de ciclovias e a utilização do transporte fluvial. Assim, com os mesmos problemas enfrentados anteriormente, o transporte coletivo de Manaus ainda assume a responsabilidade de preparar o sistema para a Copa do Mundo de Futebol de 2014 (Manaus será uma das subsedes), além de idealizar um planejamento em “escala macro” por participar da Região Metropolitana.

      Palavras-chave : geopolítica; transporte informal; poder público; Manaus.


      NOME DO MESTRANDO : JUCÉLIA LIMA PAREDIO

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Ordenamento Territorial: uma análise das Políticas Territoriais Estaduais no Estado do Amazonas”

      NOME DO ORIENTADOR : Dr(a) Ivani Ferreira de Faria

      BANCA EXAMINADORA : Dr(a) Ivani Ferreira de Faria [DEGEO/UFAM]

                                                    Dr(a) Wagner Ribeiro da Costa [USP]

                                                    Dr(a) Nelcioney José de Souza Araújo [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 23 de março de 2012

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Agosto/2009 a Dezembro/2011 – O aluno defendeu fora do tempo previsto

      RESUMO

      O Estado do Amazonas desde o período colonial à década de 1980 adotou uma política de organização territorial baseada em aspectos políticos e econômicos. Iniciando o seu processo de degradação com a exploração do extrativismo de especiarias e mais tarde, principalmente, com período da borracha, sendo agravado com a instalação dos grandes projetos nos anos 80. Devido a pressão internacional e do Governo Federal, iniciou-se o processo de estadualização das políticas ambientais no Estado, intensificado nas décadas de 1990 e 2000, mudando os rumos do ordenamento territorial agora baseado na questão ambiental, com a criação de unidades de conservação, que “ofuscou” iniciativas de criação de municípios, principalmente entre os anos 2009 a 2010, uma luta política nacional para garantir novamente aos estados federados o direito de criar municípios. Questionou-se, desta forma, o aumento da criação das unidades de conservação no Estado nos últimos anos, em relação à criação de municípios no Amazonas. Foram realizadas primeiramente a pesquisa bibliográfica e documental, utilizando-se da análise geográfica com abordagem dialética, escolhidas como área de estudo, o município de Careiro da Várzea, Novo Remanso em Itacoatiara (pela proximidade com a cidade de Manaus, facilitando o acesso), a RDS Saracá-Piranga em Silves e o Parque Estadual Rio Negro Setor Sul (também pela proximidade), sendo aplicadas entrevistas semi-estruturadas com lideranças e moradores antigos, e estudiosos do tema e a análise bibliográfica e documental (dissertação, leis e planos de gestão) sobre as duas unidades de conservação. Constatou-se, desta forma, que a criação de unidades de conservação cresceu devido o agravamento da questão ambiental em nível mundial, que pressionou os governos: federal e estadual, incorporada a um Plano de Governo do Amazonas na última década, a adotarem políticas que priorizassem a preservação e conservação do ambiente, influenciando no ordenamento territorial do Estado com a criação das UC’s. Enquanto isso uma emenda constitucional (PEC 15/1996) freou a criação de municípios no Brasil, iniciando a nível nacional pelas Assembléias Legislativas, a busca pela prerrogativa de criar (desmembrar, incorporar e fundir) municípios, também, no Estado do Amazonas. Desta forma, percebeu-se que a participação social tem contribuído na criação dessas unidades (municípios e unidades de conservação) nos últimos anos, dando margem a oficialização do ordenamento territorial de interesse de outros atores sociais, outrora realizado de forma totalmente vertical “de cima, para baixo”. Todavia, é preciso que sejam realizados conforme a lei, o estudo prévio “participante” (e não participativo), nos dois processos para que quando criadas ambas formas de ordenamento, possam realmente contribuir, para a melhoria da qualidade de vida das comunidades envolvidas (nos diversos aspectos ambiental, social e econômico). Enfim, é preciso chegar a essas comunidades (através da criação ou não de município ou unidades de conservação) as políticas públicas básicas (no mínimo) de acordo com o interesse das mesmas, não dando margem a conflitos territoriais, comuns historicamente no Estado.

      Palavras-chave : Amazonas, ordenamento territorial, política ambiental, municípios, unidades de conservação.


      NOME DO MESTRANDO : JULIANA ARAÚJO ALVES

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Do Hospital ao Bairro:Desativação do “Hospital-Colônia” e Criação do Bairro Colônia Antônio Aleixo em Manaus – AM”

      NOME DO ORIENTADOR : Prof. Dr. José Aldemir de Oliveira

      BANCA EXAMINADORA : Dr. José Aldemir de Oliveira [DEGEO/UFAM] 

                                                     Dra. Adele Schwartz Benzaken [FTMT]

                                                     Dr. Nelcioney José de Souza Araújo [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 15 de dezembro de 2011

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Agosto/2009 a Dezembro/2011 – A aluna defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      As páginas que seguem tratam de um bairro originário do encerramento das atividades do “Hospital-Colônia” Antônio Aleixo, situado na zona Leste da cidade de Manaus. Durante anos o bairro foi estigmatizado, em virtude, da hanseníase doença conhecido pelo termo preconceituoso - lepra. O que corroborou para a desintegração geográfica do bairro, afastado cerca de 15 km do centro urbano de Manaus. Suas atividades iniciais remetem a década de 1940, quando paulatinamente são transferidos os internos da Colônia Belizário Penna, em Paricatuba. E se encerraram, oficialmente, em 1978 quando o Hospital é desativado e a Colônia torna-se bairro de Manaus, declarada aberta e de livre circulação. Compreender esse momento de passagem de Hospital a bairro, a espacialidade e o cotidiano desse espaço foi o objetivo da presente dissertação. A pesquisa que originou o texto parte da vida das pessoas, entendendo que elas constroem e reproduzem suas vidas, ainda que restringidas aos limites de um Hospital. A dissertação está dividida em três capítulos e, conseqüentemente, cada um deles é dividido em três subcapítulos. A tríade não é ao acaso. Partimos do entendimento de que há um questionamento, uma afirmação e, novamente, outro questionamento. Primeiramente, tratamos do bairro tal como ele é constituído hoje. No segundo capítulo tratamos de termas pertinentes aos portadores de hanseníase, a pensão especial, a indenização aos filhos separados e etc. O ultimo capítulo trata do passado do bairro. Longe das pesquisas conclusivas ao terminarmos, a presente dissertação, ela já nos apresentou novos questionamentos. A pesquisa que deu origem a dissertação foi financiada pelo CNPq (Processo 556870/2009-3) pelo projeto “Do espaço da doença ao espaço da moradia”.

      PALAVRAS-CHAVE : Hanseníase, Hospital-Colônia Antônio Aleixo, bairro, cotidiano, Manaus – AM


      NOME DO MESTRANDO : RAIMUNDO NONATO DE ABREU AQUINO

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Utilização de Espécies Vegetais na recuperação de solo sob Área Degradada de Manaus - Am”

      NOME DO ORIENTADOR : Dr(a) Antonio Fábio Guimarães Vieira

      BANCA EXAMINADORA : Dr(a) Antonio Fábio Guimarães Vieira [DEGEO/UFAM]

                                                     Dr(a) Carlos Alberto Nobre Quesada [INPA]

                                                     Dr(a) Eduardo da Silva Pinheiro [DEGEO/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 21 de dezembro de 2011

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Domínios da Natureza na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Agosto/2009 a Dezembro/2011 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Na região amazônica uma imensidão de floresta vem sendo derrubada para diversos tipos de uso, como a utilização da madeira para confecção de móveis, para abertura de estrada, construção de cidades, para pastagens entre outras utilizações. Isso tem deixado os solos desta área a ação direta de diversos tipos de processos entre esses o desgaste excessivo do solo, o que causa impactos muitas vezes irreversível. Além disso, o solo desta região é susceptível aos processos erosivos quando da retirada da cobertura vegetal e dependendo da geomorfologia do local a degradação ocorre de forma acelerada principalmente quando a declividade da encosta é longa. O que se tem observado em diversos trabalhos sobre solos de áreas degradadas é que apresentam níveis baixos de nutrientes e com características físico-químicas diferenciadas, quando comparadas ao solo original (Moreira, 2004). Sendo assim, o êxito inicial na recuperação de um ecossistema degradado depende das práticas de manejo a serem executadas na área e o tipo de espécie a ser utilizada. Desta forma, pode-se iniciar o restabelecimento dos processos ecológicos e conseqüentemente diminuírem e até cessar o processo erosivo que se encontra na área geomorfológica. Este estudo compreende uma avaliação de várias espécies vegetais, com intervenções e técnicas de manejo para melhoramento das propriedades físico-químicas do solo e avaliar o comportamento do crescimento da vegetação sob esta área. O experimento foi conduzido entre os meses de janeiro/2010 a abril/2011, na área pertencente a Superintendência da Zona de MANAUS - SUFRAMA, localizada no bairro Vila Buriti, zona Sul de Manaus, AM. O objetivo geral do trabalho foi avaliar o desenvolvimento e eficiência de cinco espécies vegetais: Ingá-de-metro (Ingá Edulis), Goiaba de anta (Bellucia Grossularioide) Guaraná (Paullinia Cupana) Cupuaçu (Theobroma grandiflorum) e a Leucena (Leucaena Leucocephala). Para atender o objetivo geral foi necessário objetivo mais específico como, avaliar as alterações nas variáveis físicas (granulometria, densidade aparente, densidade real, porosidade total, macro e microporosidade resistência à penetração) e químicas (concentração de macro e micronutrientes, pH, H2O) do solo; avaliar a capacidade de infiltração de água no solo nas parcelas dos experimentos; monitorar o crescimento das espécies estudadas e avaliar o teor e estoque de nutrientes inserido nas parcelas com vegetação secundária picada (capoeira picada) (C, N, K, P, Ca, Mg, Mn, Fe). Para tanto, antes do plantio das espécies nas parcelas coletou-se amostras para análise química e física a 20 cm de profundidade nas parcelas. Feito isso, foi incorporado ao solo das parcelas 1, 3, 5 7 e 9, 50kg de biomassa vegetal (capoeira picada) a cada 4 meses pelo período de 1 ano e nas parcelas 2, 4, 6, 8 e 10, nenhum tipo de material foi inserido nestas parcelas (parcela controle). Após a instalação (30 dias após) foram realizadas as medidas alométricas (diâmetro a 10 cm do solo, altura e tamanho de copa). Testes de infiltração e de resistência a penetração foram realizados. Após a coleta de todos os dados no período de um ano, observou-se que as parcelas 5 e 6 e 9e 10, ingá e leucena respectivamente, foram as que tiveram melhor desempenho (altura, diâmetro e tamanho de copa), seguidas pela goiaba de anta, cupuaçu, e guaraná. A biomassa vegetal (capoeira picada) teve efeito significativo (quando comparada as parcelas controles) contribuíram para a melhoria da fertilidade do solo, da sobrevivência de algumas espécies e na regeneração natural, proporcionando maior capacidade para exercer as funções. Os resultados permitiram concluir que o êxito inicial na recuperação de um solo degradado por processos erosivos depende das práticas de manejo efetuadas no sítio e do uso de espécies que tenham um crescimento rápido e com isso, possam dar maior cobertura ao solo exposto e favorecendo condições ideais.

      Palavras-chave : solos degradados, atributos químicos e físicos, processos erosivos.


      NOME DO MESTRANDO : SUSANE PATRICIA MELO DE LIMA

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Cadeia Produtiva dos Biocosméticos no Amazonas: da Terra ao Laboratório, do Laboratório à Indústria e destes ao Mercado”

      NOME DO ORIENTADOR : Dr(a) Tatiana Schor

      BANCA EXAMINADORA : Dr(a) Tatiana Schor [DEGEO/UFAM]

                                                     Dr(a) Marcelo Bastos Seráfico de Assis Carvalho [ICHL/UFAM]

                                                     Dr(a) Paulo Rogério de Freitas Silva [UFRR]

      DATA DA DEFESA : 15 de dezembro de 2011

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Agosto/2009 a Dezembro/2011 – A aluna defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      Este trabalho se propõe a analisar a cadeia produtiva da biodiversidade dos bio-cosméticos no Amazonas a partir do estudo de caso de três bioindústrias localizadas no estado do Amazonas, a Amazon_green, a Pharmakos da Amazônia e a Gotas da Amazônia. Permeia-se por uma problemática que buscou responder se do ponto de vista histórico-geográfico (relação espaço e tempo) a importância comercial dos insumos florestais é a mesma desde a coleta das “drogas do sertão” no estado do Amazonas; como se desenvolve a cadeia produtiva de cada uma das bioindústrias e, por fim; se do ponto de vista da biotecnologia que se promove no Amazonas, as bioindústrias analisadas conseguem participar da rede de atores que se articula para a promoção da ciência, da tecnologia e da inovação na área da bio-cosmética. Para responder a tal problemática usou-se como recorte temporal uma breve retomada à história colonial do século XVII com o ciclo das drogas do sertão até o século XXI quando se verifica um forte discurso da floresta como recurso para a bio-industrialização. O recorte espacial é a cidade de Manaus, pois é onde se localizam as bioindústrias analisadas e como recorte analítico elencou-se como produtos duas oleaginosas amazônicas: a andiroba [Carapa guianensis] e copaíba [Copaifera langsdorfii], além de um aporte teórico centrado na categoria geográfica de análise, o território. Nesse contexto, o objetivo geral da pesquisa foi analisar o setor de bio-cosméticos no Amazonas por meio do estudo de caso das empresas Amazon_green, Pharmakos D’ Amazônia e Gotas da Amazônia e, os objetivos específicos foram, analisar por meio da relação espaço/tempo, na economia do Amazonas, a importância do extrativismo desde a coleta das drogas do sertão na Amazônia; descrever a cadeia produtiva da biodiversidade da andiroba e da copaíba para atender a demanda das três bioindústrias do estudo de caso e; analisar a rede de atores que consolidam a biotecnologia no estado do Amazonas para dar aporte às indústrias de bio-cosméticos em Manaus. Tem-se que a importância comercial dos insumos florestais no Amazonas não deixou de existir, mas ao contrário, agora é incrementada pelos aportes científicos e tecnológicos da biotecnologia. A cadeia produtiva da biodiversidade não deve subsistir sem a consideração das comunidades que vivem nos territórios de extração das oleaginosas e quanto à biotecnologia, sobretudo aquela mediada pelo Centro de Biotecnologia da Amazônia, não ocorre como planejado inicialmente, porém não é inexistente, e para a promoção da ciência, tecnologia e inovação no setor de bio-cosméticos a esfera pública é a força motriz através da rede de atores que permite consolidar, dos financiamentos e na participação de organismos públicos federais, estaduais e municipais.

      PALAVRAS-CHAVE : Biocosméticos; Território; Amazonas; Drogas do Sertão; Biotecnologia


      NOME DO MESTRANDO : WALDEMIR RODRIGUES COSTA JÚNIOR

      TÍTULO DA DISSERTAÇÃO : “Cultura, Cidade e Rede Urbana: a Influência do trabalho criativo dos artistas artesãos de Parintins na configuração multiescalar da rede urbana”

      NOME DO ORIENTADOR : Dr(a) Tatiana Schor

      BANCA EXAMINADORA : Dr(a) Tatiana Schor [DEGEO/UFAM] 

                                                    Dr(a) Ivani Ferreira de Faria [DEGEO/UFAM]

                                                    Dr(a) Otoni Moreira Mesquista [ICHL/UFAM]

      DATA DA DEFESA : 19 de dezembro de 2011

      ÁREA DE CONCENTRAÇÃO : Amazônia: Território e Ambiente

      LINHA DE PESQUISA : Espaço, Território e Cultura na Amazônia

      TEMPO DE DURAÇÃO NO CURSO : Agosto/2009 a Dezembro/2011 – O aluno defendeu dentro do tempo previsto

      RESUMO

      O principal objetivo desta dissertação é de compreender como a cultura participa na estruturação da rede urbana, a partir de um estudo empírico dos Bois-bumbás de Parintins-Am. A hipótese principal é de que a cultura contribui com a estruturação da rede urbana perpassando diferentes escalas geográficas. Como hipótese auxiliar, argumenta-se que Garantido e Caprichoso conferem funções urbanas a Parintins articulando-a com as cidades da rede urbana dos rios Solimões e Amazonas, bem como das redes urbanas supra-regionais. Considerando os pressupostos do conceito de indústria cultural, realizou-se um roteiro de entrevistas semi-aberto, mediante o qual foram entrevistados membros e antigos torcedores dos bumbás, bem como 59 artistas-artesãos, sendo 38 de fantasias (19 em cada bumbá) e 21 de alegorias (11 no Garantido e 10 no Caprichoso). Realizou-se também observação de campo, cujos dados foram reunidos em um Diário de Campo, e coadunados aos relatos orais e fontes bibliográficas. A análise desse universo empírico permitiu compreender que os bumbás surgiram na segunda década do século XX, em Parintins, marcando o período denominado “Boi de rua”, quando esses folguedos brincavam nos quintais e saíam pelas ruas encenando a venda da língua do boi. Com o crescimento da rivalidade entre os bumbás, que, inclusive, influenciou na morfologia urbana da cidade, materializando-se em conflitos corporais, a disputa foi transposta para o campo da competição estética no que se denominou de “Boi de arena”, estabelecendo-se uma nova fase da trajetória dos bumbás, o “Boi espetáculo”. Trata-se do momento em que os bumbás se integram ao mercado capitalista estabelecendo, com isso, esforços para a profissionalização de brincantes e artistas que até 1990 prestavam-lhes serviços voluntários. Esse processo trouxe em seu bojo o planejamento em série dos trabalhos artísticos, bem como a transformação do “Boi de arena” em vitrine desses trabalhos, o que marcou o preenchimento do tempo livre e consequente assalariamento dos recursos humanos. Esse aperfeiçoamento estético consolidou-se com uma hierarquia de trabalho artístico nos bumbás, com artistas-artesãos de alegorias no topo, e artistas-artesãos de figurinos na base. Analisa-se se essa hierarquia confere funções urbanas a Parintins, expressando e, simultaneamente, retroalimentando-se de uma hierarquia urbana a partir de atividades como produção, distribuição e gestão de bens e manifestações culturais. Verifica-se ainda se a mão-de-obra artística configura relações entre Parintins e outras cidades do tipo não hierárquicas ou de complementaridade a nível regional. Constatou-se que, por influência do “Boi de arena” enquanto vitrine de mão-de-obra artística, Parintins teve suas relações reforçadas na esfera local e regional, e ampliadas para o nível supra-regional, corroborando assim com a configuração e sobreposição de múltiplas redes geradas por fluxos de artistas em múltiplas escalas geográficas.

      Palavras-chave : Parintins; Bois-bumbás; Artista-artesão; Cultura; Rede urbana; Escalas Geográficas.


       

       

       

       

       

       

       

    • Dissertações Turma 02 - 2008

      • 1

      PPGG | nº de telefone |